Sorriso do Dia – O Baloiço do Tempo

Abril 16, 2018 - Leave a Response

O sorriso do dia é o baloiço do tempo num abraço amigo, vaivém de búzios soprando ao vento, farol de afetos ondulando no mundo na hora da despedida com um soluço mudo!

A Coragem

Abril 16, 2018 - Leave a Response

A coragem habita no coração e engrandece pela capacidade de dizer: Sim! e Não!, de fazer-se ao largo, de lançar as redes e de regressar à ribeira com flores de sorrisos escorrendo pelos olhos prateados dos pescadores, estendendo a todos a sua mão!

O Sonho do Pássaro

Abril 16, 2018 - Leave a Response

O sonho do pássaro ferido é poisar num galho escondido, estar consigo até sentir-se restabelecido, reabrir as asas sozinho, e voltar a voar! Voar livremente, sentindo-se fora de perigo!…

A Minha Aldeia – A Diversidade da Partilha

Abril 16, 2018 - Leave a Response

A minha aldeia, como todas as aldeias onde todas as pessoas, os naturais e outros residentes que aqui aportaram pela via do emprego se conhecem, muitos são familiares, alguns de muitas gerações, outros amigos ou colegas, e aqueles com quem têm ligações circunstanciais, por vezes sem chegarem a saber o seu nome, mas referenciando-os, encontrando espontaneamente pretextos para se saudarem no dia-a-dia, e/ou trocarem impressões e alguns desejos, nem que seja: que chova ou faça sol, “que já chega”; que o frio nos deixe e a temperatura se defina e suba, porque “uma pessoa já não sabe o que vestir”, que o “tempo está ruim e o mar seco, pois não se apanha nada”…

Mas…

Esta proximidade tem efeitos mágicos como o de gerar bem-estar a quem não gosto de sair de casa, pois acaba sempre por encontrar alguém por quem é acarinhado, que o faz sorrir, que é gentil… ou a quem escutou e ajudou…

E…

O regresso a casa traz consigo não só alegria da partilha aliada ao facto de não estar só, perdido entre uma multidão desconhecida, mas também uma certa parcela de responsabilidade por ter-se escusado a viver estes momentos, distanciando-se da riqueza do seu mundo!

Na minha aldeia, como em todas as aldeias onde as pessoas se conhecem, a partilha é completa, portanto extensiva aos momentos de despedida em que os sentimentos diretos se privilegiam, ou qualquer ligação /afinidade juntam a população que chega a estar presente em sucessivas cerimónias num só dia…

Afinal…

A vida partilhada é tão diversificada e rica como as estações do ano, em que se ri e chora, se dorme, se sonha e se acorda, e… quando não se festeja, distingue-se a noite do dia, limpam-se lágrimas, cultiva-se a paz e regam-se as sementes da alegria!…

As Ondas do Silêncio

Abril 16, 2018 - Leave a Response

As ondas agitadas da voz do silêncio rebentam, atirando-se impiedosas e erróneas aos penedos da inquietação, causando perturbação na razão, rasgando os fios de seda do coração.

Quando Eu For Grande – Sexagésimo Sexto Desejo

Abril 16, 2018 - Leave a Response

Quando eu for grande, quero ser a doce luz da aurora, beijando os olhos tristes das crianças a toda a hora!

Quando eu for grande, quero ser a sinfonia da alegria, acordando a esperança com o chilreio da criança, correndo pela casa quando esta ainda dormia!

Quando eu for grande, quero ser a fonte cantante, saciando a sede do caminhante, refrescando o rosto rosado da aguardente, batendo inocentes e contentes palmas de criança a toda a gente!

Quando eu for grande, quero ser a roda na festa da escola, acariciando as bochechas caídas, apertando com o coração do dia a boca lambuzada e a criança rejeitada, guardando, apressada, a aprendizagem, as brincadeiras e todas as memórias numa secreta sacola!

Quando eu for grande, quero ser a magia do papagaio de papel, abraçando a criatividade nas sílabas do poema da criança pintado com sorrisos de bondade, fazendo da triste folha dourada um anel com colorida e coceguenta magia de um carrossel!

Sorriso do Dia – Gotas Sorridentes

Abril 13, 2018 - Leave a Response

Vislumbro, entre a dança das preciosas pérolas da chuva, o brilho do teu olhar, acenando-me com sorrisos de magia, saudando a vida com uma sussurrante sinfonia de: Bom Dia!

Histórias de Meninas – “Ajudar os Outros”

Abril 13, 2018 - Leave a Response

O resplandecente sorriso da juventude jorrava no rosto das duas jovens de olhos cintilantes.

Uma, muito expedita e elegantemente vestida de senhora, exigência profissional tão oposta à sua natureza prática de bom gosto aliado a atividades desportivas, preferencialmente ao ar livre, a outra ricamente doce, acompanhando todas as expressões corporais e curiosas do simpático bebé que aconchegava ao colo.

Falavam sobre as suas diversas experiências profissionais, todas elas em regime de precariedade, salientando o contacto com as pessoas, as mensagens que transmitiam interna e externamente no seu desempenho…

” – Ai! Eu gostava tanto! Quando alguma colega estava com problemas ou, simplesmente, se mostrava triste ou menos comunicativa, antes de sair, escrevia bilhetinhos e deixava-los de modo acessível, ou entregava discretamente, sorrindo, apenas! Era tão bom! Tão bom! Eu gostava tanto! E voltava feliz para casa! Eu sou assim!” – recordava a menina mais expedita.

Comentavam também entre si, olhando com a empatia de um convite para a transparência da minha presença bordada de discretos, compreensivos e cúmplices sorrisos, sobre o deleite da vida familiar, os turnos dos maridos cujo descanso queriam poupar do choro das crianças, rindo-se das suas amorosas estratégias, juntando-lhes a saudade do trabalho, à medida que cresciam e começavam a frequentar a escola!

E… um contrato a expirar poucos dias depois, lamentava, receosa, uma das jovens, antevendo juntar-se à porta do desemprego que não se abria à sua interlocutora.

Mas…

De todo o seu contributo para a sociedade no mundo laboral, do que ambas tinham mais saudade era das pessoas!

” – De tudo o que fiz, do que mais gostei, foi de trabalhar na Saúde! Era tão bom fazer tudo para ajudar as pessoas e vê-las esboçar um sorriso! E… ficava tão enternecida com os seus intermináveis agradecimentos, às vezes sem razão; só por que as ouvia pacientemente, mesmo quando não tinha meios para concretizar o que precisavam e desejávamos! Ah! Se eu pudesse escolher, era para lá que eu voltava!” – partilhava saudosa a jovem que tinha o bebé ao colo.

” – Também eu! O que mais gostei foi da minha experiência na Saúde! Gostava tanto de todas as pessoas! Faziam sentir-me útil!” – declarou cheia de sorrisos a jovem trabalhadora.

E…

Em uníssono, ecoou como uma feliz gargalhada uma onda fluindo dos seus corações:

” – Gostei muito por poder ajudar os outros!”

Sorriso do Dia – Amigo! Amigo, Anda Comigo!

Abril 12, 2018 - Leave a Response

Amigo!

Amigo?!…

Amigo, sim, Amigo!

Amigo! O coceguento sorriso pela manhã, estreitando-te na unicidade de um secreto abraço, sussurrando-te:

– Amigo, estou aqui! Escuta a canção da maresia!

– Amigo, sou eu! A lanterna da alegria!

– Amigo! Amigo! Amigo, sobe para as asas do vento, e toca comigo a sinfonia do Bom Dia!

– Amigo, anda! Beija a singeleza da flor, para que ela se abra, a onda dance e a natureza sorria!

O Aceno da Tristeza

Abril 12, 2018 - Leave a Response

Não te deixes abater pelos empurrões da tristeza, limpa os olhos da sua poeira e acena-lhe com destreza!