Archive for Fevereiro, 2018

Insultos de Descendentes
Fevereiro 25, 2018

Felizes os filhos puros de coração, de mente saudável e boa educação, que nunca sujaram os seus lábios, nem atiraram setas aos pais, insultando-os desrespeitosamente na tirânica loucura das vontades insatisfeitas, espezinhando sentimentos com palavras de fel, tais como:

“- Estúpido(a), burro(a), parvo(a), atrasado(a)…

E…

Parabéns àqueles pais pelo bem sucedido investimento na sua formação.

A Grandeza da Humildade
Fevereiro 25, 2018

A maior prova de humildade é o reconhecimento da limitação humana, a aceitação de que ninguém é mais,
nem menos do que o outro, mas sim diferente, não obstante os benefícios e os constrangimentos do estatuto social, que o Homem é um ser dependente de todos os homens a quem deve sentir-se grato pelo seu contributo silencioso, escondido e sem rosto por tudo o que é, que tem, aonde chegou.

Mas…

É na generosidade e na doença que a grandeza do arco-íris da humilde se manifesta bilateralmente – não basta dar; é preciso saber receber, grata e dignamente!

Histórias de Fantoches – Folhinha de Hortelã, 4.ª Página
Fevereiro 25, 2018

– Também gostei, mãezinha! Mas o mais bonito era o museu-cantina, que parecia a cozinha de um castelo dos contos de fadas, daqueles que o avozinho Emanuel me contava quando íamos passar férias à casa dele no Algarve, enquanto a avozinha Esmeralda nos enchia de mimos gulosos, que faziam crescer água na boca só com o cheiro apetitoso que vinha da cozinha a: canjinha; peixinho no forno; batatas doces assadas; bolo de laranja; doce de figo.

Mas eu acho que a da minha escola é um bocadinho diferente, porque estava tudo a brilhar como uma casa de espelhos com várias formas: um fogão gigante; tachões e panelões; frigideiras enormes; travessas muito compridas; conchas para a sopa muito fundas e com um cabo quase do tamanho da Miquinhas.

– Que entusiasmo, Folhinha de Hortelã! – interrompeu o pai, que acabava de chegar do trabalho!

– Pois é, paizinho! A minha escola é o máximo, mas o que mais gostei foi da super cozinha. O Gonçalo e a Maria fartavam-se de dizer que era: “Bué de fixe”! Eu concordei! – relatou a Dulce.

– Mas precisas de aprender: a ler, a escrever e a fazer contas para saberes muitas coisas que gostarias, que te darão prazer conhecer e que ser-te-ão muito úteis ao longo da tua vida. Os teus livros escolares também são tão lindos!

– Está bem, paizinho, mas amanhã podes levar-me mais cedo à escola?

(continua)

Honrar a Memória do Pai
Fevereiro 25, 2018

Quem honra a memória do pai não nega o apelido de família que dele herdou, alicerce da sua história!

A Crítica Maldizente
Fevereiro 25, 2018

A crítica maldizente e julgadora é uma infeção que faz muita comichão no linguarejar da imaginação, envenena a degustação e provoca arrotos em forma de palavrão, ferindo a audição e o coração.

A crítica maldizente e julgadora do ignorante sabe-tudo será sempre um borrão que, infelizmente não faz cair a dentição, deixando, contudo, atrás de si, sinais da sua corrosão.

Gente Boa da Minha Aldeia – A Senhora dos Olhos de Esmeralda
Fevereiro 25, 2018

Destemida e vencedora, a simpática senhora de olhos de esmeralda não se rende aos efeitos da queda no quintal da amiga, enganada pela mangueira enrolada.

Pé pesado, de gesso embrulhado, mas de mente aberta ao otimismo, põe mãos à obra, não se rendendo à sua temporária limitação.

Apoiada nas canadianas, dando largas à sua razão e determinação, chega sozinha ao intacto quarto da sua pequenina, ora rainha no reino do amor, senta-se cuidadosamente na rotativa cadeira, e descobre como é bom deslocar-se sobre rodas.

Faz a cama, girando de um lado para o outro, sorrindo, satisfeita, antevendo a surpresa que o marido terá quando regressar a casa com o pãozinho quente da manhã.

Ah! Como brilham os olhos de esmeralda, que já avistam a sua senhora a abrir a porta ao simpático senhor do gás, ao contador da água e da luz, ao carteiro que trará a esperada encomenda, e a fazer tanta coisa de trás para a frente e de frente para trás!…

Ser gente grande é como ser poeta: em tudo se vê beleza, de tudo se faz descoberta, em todos os muros se coloca uma maçaneta, de todas as maleitas se constroem asas de uma avioneta, e… de um pé partido se inventa como andar em casa numa cadeira-bicicleta, deixando ao esplendor da vida a porta aberta!…

Sorriso do Dia – O Passarinho
Fevereiro 25, 2018

Sorriso do dia é o pueril desejo de umas bochechas rosadinhas de querer ser um passarinho para poder andar na bicicleta do paizinho em cima do seu ombrozinho, abrir as asinhas e brincar com o ventinho!…

O Amor de Dentro para Fora
Fevereiro 25, 2018

Contorciam-se as inúmeras pétalas numa imensa chuva de lágrimas salpicada de soluços abraçados com silêncios, acariciando delicadamente os inconsoláveis corações com perfumes de veludo…

Na hora da despedida, o mais profundo amor expressava-se do ferido e desesperado peito paternal, esquecido da sua dor, lamentando-se na sua triste impotência, entre chorosos gemidos, repetindo perante a tragédia da abatida na vida do seu jovem filhinho:

” – Sofreu tanto! Tanto! Tanto! Tanto! E nem se queixava!”

E…

As pétalas da flor da juventude permanecerão vivazes com asas de anjo…

Sorriso do Dia – A Janela da Alegria
Fevereiro 24, 2018

A janela do dia é o teu olhar no terraço do mundo regando-o de alegria, baloiçando a árvore do ser das crianças chorosas com a luz do teu coração, sentares-te ao seu lado no chão, contar bagos de areia, caracóis e histórias, segredar uma canção de esperança para a despertar e ensinar a caminhar com um sorriso!

O Segredo do Amor
Fevereiro 24, 2018

O segredo do amor é a dança das fontes nos braços floridos de heras, respirando beijos na nudez das folhas debruçadas na noite de luar, bebendo sorrisos de luz na doce madrugada sobre o ritmo da maré azul anunciada!