Archive for Outubro, 2018

A Seara da Cidade
Outubro 28, 2018

 

A muda, agitada e ensonada multidão citadina é a seara não amadurecida perdida na imensidão do solitário espaço com dores no peito e filhos invisíveis no regaço, faces sem sorrisos, papoilas murchas, espigas à procura da aurora com versos de ilusão soprados pelas ilhas da solidão.

Os Sonhos Perdidos
Outubro 27, 2018

Afogam-se os sonhos na neblina da escura madrugada da vida desencantada!

O Coração das Nuvens
Outubro 27, 2018

As nuvens são cantos silenciosos, regando o coração da terra, lambuzando os lábios doces das crianças, brincando à apanhada com as ondas bailarinas, sentando-se com caretas nas sombras das meninas, perseguindo os poetas-pintores, senhores das sensações no mundo da imaginação, madrugadas de sorrisos, acordando a vida com os dedos de veludo da sua mão!

Saber Vencer
Outubro 27, 2018

Quem quer vencer não pode ficar parado, nem sentado, nem pasmado, à espera do que vai acontecer, pois o ser humano tem razão, é árvore que cresce continuamente e floresce com a alegria do seu sábio coração!

Proteger e Enriquecer
Outubro 27, 2018

 

Protege quem ensina, e enriquece quem aprende e colhe o bem que floresce!

O Retrato
Outubro 27, 2018

 

O retrato que te mostram, rascunhado ou pintado, nem sempre é real, pois a sua reprodução depende do olhar dos sentidos, nítido ou nublado, da clareza da alma e da alvura da mente, e não de um desbotado papel amarrotado!

Os Grandes Infantes
Outubro 27, 2018

 

São gigantes os inteligente infantes que muitos lêem, sabem pensar e falar, escutar e compreender todos os zumbidos que dançam no ar, abraçar ideias e afetos com notas de encantar!

As Asas Abertas
Outubro 25, 2018

 

As asas abertas, o rosto no ar, os pés a levantar, a voz a sibilar, um assustador cenário de quem, ainda sem saber andar, já quer voar!

As Sobras do Tempo
Outubro 25, 2018

 

São sobras do tempo os cacos deixados pelos vendavais, sopros de vento ao choro abraçados, nacos de pão duro em essências de flores ensopados!

O Adeus Azul
Outubro 25, 2018

 

O adeus azul deixa um sulco alongado de branco-rosado orvalhado, despedida inatingível de quem parte sem querer e é levado para outro lado!