Archive for Agosto, 2015

Ser Melhor
Agosto 31, 2015

DSCF0456.JPG

Ser melhor é escutar a voz do nosso coração a cantar como um rouxinol com a renovada e interminável magia de uma caixinha de música!

Anúncios

As Brincadeiras da Nita e do Nito – Os Príncipes
Agosto 26, 2015

A Janela da Muralha

Tinha chovido. Estava tudo molhado! Os amigos Nita e Nito não podiam jogar à bola, nem sentarem-se nos degraus das escadas do castelo.

A Nita, expedita, propôs:

– Nito, vamos improvisar uma cena de teatro.

– Isso não tem graça, Nita! – respondeu o amigo, contrariado.

– Tem sim, Nito! Vou dar três palavras-chave: Princesa, Príncipe, comida. Agora só tens de puxar pela tua imaginação!

– Está bem! Vou surpreender-te, princesa! – concordou o Nito, desafiante. Podes começar!

– Olá, menino!

– Olá, miúda! Quem és tu?!… Parece-me que já vi esse lacinho piroso que trazes na cabeça em qualquer lado!

– É natural! Eu sou universalmente conhecida.

– Ah, sim?!… Não sabia! E… porque é que usas esse leque aí atrás?!… Ah! Já percebi! Tens as mãos ocupadas!

– Não é um leque, menino! Eu sou uma princesa!

– Uma princesa?!… Estás a gozar! Já não existem princesas a sério! Olha lá, e se me desses uma maçanita dessas?!… Vinha a calhar! Tomei o pequeno almoço às sete, e… não comi mais nada até agora!

– Mas… e…. o lanchito matinal?!… E… já devias estar a almoçar, menino, para continuares grande!

– Mas eu não quero ser “mais grande”! Quero ficar assim, mais pequeno do que os holandeses!

– A tua opção deve ser consciente e saudável, porque ainda estás em crescimento.

– Eu?!… Em crescimento?!… Ah! Ah! Tu não existes, não és deste mundo, pois não?!…

– Existo pois! Toca lá na minha mão! Não desenvolves actividades físicas e intelectuais?!…

– Eu, tocar-te?!… Pareces um algodão doce! E se ficas colada aos meus dedos?!… Nem penses! Desenvolvo actividades físicas e intelectuais, pois! Sou muito desenvolvido!

– Então, os teus desenvolvimentos estão em crescimento, portanto, tu também cresces!

– E depois?!…

– Depois de tomares o pequeno-almço e teres reposto as reservas gastas durante o sono, é conveniente ingerires um alimento a meio da manhã – iogurte, leite, fruta -, para teres mais energia.

– Qual energia?!… As caminhadas são à tarde, quando são, e à noite navego sentado!

– Não pareces descendente dos navegadores portugueses, que preferiam estar de pé, menino do contra!

– Isso eram eles, que andavam de olho aberto no binóculo para descobrirem terras, e de bússola no bolso à procura do norte! Eu não preciso! Tenho o meu GPS!

– Está bem, menino GPS, mas isso são modernices! A energia, no teu caso, traduz-se em maior concentração, logo resultados mais rápidos e melhores.

– Tens a certeza, princesinha mal-encaradita?!…

– Tenho, menino grandito-pequenito! Uma das regras da alimentação inteligente é comer de forma repartida, seis a sete vezes por dia!

– Não me convences! Olha, não quero ser convencido! Não sou!

– Não quero convencer ninguém! A opção é tua! Mas podes pedir ao teu GPS para gerir passos saudáveis, ou programar o teu telemóvel para nunca estares mais de três horas sem comer e…

– E…? Ainda há mais?!…. Tu és uma princesinha muito “chatinha”!…

– Não ouvi o que dissestes! Falaste muito baixo, mas não precisas de repetir! E…, dizia eu, não comas muito de cada vez! O pior é que, se ficas, muito tempo sem ingerires alimentos, o apetite aumenta, comes mais e estás a engordar!

– Deixa lá, qualquer dia, quando tiver tempo, penso no que disseste!

– Isso mesmo! Queres lanchar comigo?!…

– Lanchar contigo?!… Não me digas que vais dar-me uma “maçanita”, e comes a outra?!… Mas eu gosto mais das vermelhinhas como as amoras!

– Posso dar-te, sim!

– Eh, princesa! Só falas em comer! Já estou cheio! Então e a “maçanita”?!…

– Bem, podes comer quando fores fazer exercício, antes ou depois e…

– … Bebe muita água! Já sei!

– Tu sabes, menino grande! Mas… não pensas em ti, por isso, não segues as regras!

– Tens razão! Mas, ainda não me disseste como te chamas.

– Nem tu, menino sabe-tudo!

– Eu sou a Branca de Neve!

– E… eu sou o Príncipe Encantado!

– Encantada! Vê lá se acertas nesta adivinha: Verde por fora, encarnado por dentro, e com mulatinhas no centro.

– É a…

– E tu esta: Que é, que é, que quanto mais quente está, mais fresco é?

– É o…

– Ai, pega lá na tua “maçanita”, Príncipe Encantado!

– Obrigado, Branca de Neve! Até a tua bochecha já tem cor de “maçanita”, toda coradita! Devias “era” de abanar-me com o teu leque!

– Tu é que tens de abanar-te à noite, na cozinha, antes de ires para a cama, mas é com um copo de leite, iorgurte ou fruta, porque vais ficar várias horas sem comer.

– Que… “chatinha”! Pareces uma despensa ambulante! Coitadinhos dos anões!

– Coitado de ti… Príncipe…

A Nita, Princesa Branca de Neve, não conseguiu responder desatou a rir!

O Nito, que também já estava vermelho pelo esforço de conter o sorriso durante a engraçada representação, juntou as suas gargalhadas às da amiga.
Riram!
Riram!
Riram e abraçaram-se!

Crescer
Agosto 26, 2015

Árvores Abraçadas, 2010

Crescer é ser árvore da vida regada de sol e de chuva!

Quando Eu For Grande – Trigésimo Oitavo Desejo
Agosto 26, 2015

Menina Grande

Quando eu for grande, quero ser árvore, tocar o céu e estar sempre a dançar, quero ser barco a deslizar no mar manso, e as velas a içar, quero ser sorrisos de criança, brincar sem parar, limpar lágrimas e ensinar a perdoar, quero ser música para todos alegrar, quero ser farol a brilhar na noite para te despertar, quero ser sinfonia num canto de pássaro à janela da primavera, quero ser menina com olhos, coração e braços grandes para te abraçar, e… saber pensar, sentindo o teu sentir, para contigo crescer e a ninguém magoar!

O Centro do Mundo
Agosto 26, 2015

Árvores Douradas

Ninguém é o centro do mundo, mas um mundo a girar em torno, em sintonia, de mão dada com outros mundos!

Conjugar o Verbo Amar
Agosto 26, 2015

Flor-Harmonia, 2015

Amar é a perfeita conjugação do verbo dar(-se) com o pulsar do coração!

A Voz do Coração
Agosto 26, 2015

O Pulsar da Vida, 2011

O amor é a ininterrupta voz do coração.

Sorriso do Dia – O Vento e o Abraço
Agosto 26, 2015

Árvores Espelhadas, 2015

Se o vento passar e assobiar…

Escuta a voz do ondular turquesa no silêncio da emoção, brincando com o teu cabelo, guiando os teus pés descalços, saltitantes, cansados, inundando as tuas mãos com oceanos de ternura florida, sorrisos com danças intermináveis de sorrisos, e abraça o novo dia com heras de esperança, trepando pelas escadas do teto do mundo!

A Beleza do Mundo
Agosto 25, 2015

A Beleza de Porto Côvo, 2010

É privilégio dos corações de criança, das mentes puras e dos olhos iluminados a descoberta, a decifração e o deleite da beleza das pessoas, das coisas, da vida!

O Tio Inocêncio e o Talhão da “Cambra”
Agosto 22, 2015

O Girassol, 2015

Cogitações do tio Inocêncio sobre o talhão da “Cambra”…

– Calhando vou à “Cambra”! Aquela coisa do arrendamento do talhão parece-me uma boa ideia! “Atão” e os lucros que aquilo via dar?!…

1.º Aprendo a arte de bem cultivar!

2.º Faço exercício físico: pego na enxada, abro as valas, planto as leguminosas – tudo menos nabos, porque já basta os que andam por aí a atrapalhar -, rego, apanho os produtos, ponho-os no carrinho de mão, empurro-o, carrego a carinha ou o jipe, – “granda trabalhêra! Mas é lucrativa!

3.º Olho com orgulho para os calos das minhas mãos – o melhor era usar luvas, até por causa das unhas , mas… e se os outros lavradores acham que sou… esquisito?!…

4.º Pego nos coentrinhos, que, como são biológicos, calhando basta sacudir, sempre se poupa na água, e trago-os para casa – num pratinho alentejanito cheira-me bem!

5.º Nas pausas, quando tirar o chapéu ou o boné à maneira, e limpar a testa, posso sentar-me no banco de jardim, beber água fresca do cantil, conversar com o Fiel, com a vizinhaça, e… talvez com algum ou alguma curiosa que se lhe lembre de elogiar a minha horta em troca de um rabanete ou de um pé de salsa, por exemplo!

6.º Vou ensinar ao Vereador como é que se fazem contas! Sim, porque se ele pensa que vou pagar os setenta e cinco euros deste ano civil só pelo usufruto de dois meses e meio, está enganadinho. Claro que vou ter de explicar que, à conta do investimento e da produtividade, tudo tem um preço negociável, acessível, “´tá visto!”

7.º Ganho, também, um par de botas, de preferência de borracha! Ah! Sempre sonhei ter umas botinhas de borracha, de pescador quando me metia nos botes, à noite, na minha baía! Agora vou ter umas, de lavrador – e toca a dar-lhes umas mangueiraditas antes de recolher,´tá visto”!

Está decidido! Vou à “Cambra”! “Aprovêto”! Mas vou logo dizer que não quero “amostras” dos meus pertences na televisão, ali à “descâncara”! Para depois cobiçarem o que é meu e nunca mais ter sossego?!… “Nã”!

Bem,”vou mas é” guardar as alfaias, tirar o chapéu, esconder as luvas, arrecadar as botas, e… arregaçar as mangas, “quer-se dizer” lançar-me a outras tarefas, mas que não me bronzeiam os braços a três quartos!

E… agora, vinha a calhar uma cestinha de fruta variada e lavada, para o intervalo da manhã! O melhor é uma buscar uma “maçanita” ali à cozinha!
Ainda estou a cogitar que um pé de girassol lá no talhão seria uma coisa do mais lindo, e a minha Florbela ia adorar!