Archive for Fevereiro, 2008

Amar e Pingar
Fevereiro 10, 2008

Amor-Perfeito
O pinga-amor baba-se.

E…

O que ama alimenta-se de ambrósia.

Habilitação e Habilitado
Fevereiro 10, 2008

Dedo no Ar

08/02/09

Ter habilitação, gratuitamente, e não ser habilitado não forma cidadãos, nem fomenta o crescimento saudável de um país.

Desafios
Fevereiro 10, 2008

Amigos

08/02/08

Os desafios são obras para os vencedores

Decisões
Fevereiro 10, 2008

Mocho Sábio

08/02/07

Há decisões que não se devem adiar, mas vale a pena empreendê-las quando se desprende o aroma de fruta madura.

Limitações do Amor
Fevereiro 10, 2008

Coração de Amor-Perfeito
O amor, semente ou bolbo, não se basta a si próprio; transforma-se em:

– erva rasteira;

– caule ao sabor do vento;

– arbusto, trepadeira ou árvore;

Depende da terra, dos cuidados do(s) jardineiro (s) e da sua resistência às alterações atmosféricas.

Limpar Lágrimas
Fevereiro 10, 2008

Paz

08/02/06

Limpar com silêncio e palavras as lágrimas gotejantes de um jovem coração desiludido e desencantado com o comportamento abrupto do seu amado, contemplando o seu castelo de ilusões transformado em cacos, que gostaria de reconstruir.

Confusão e Imaginação
Fevereiro 10, 2008

Menina com  Ursinho

08/02/05

Hoje é dia de confusão em muitas mentes que não conseguirão vislumbrar a cancela dos seus limites, mas também um momento de magia, por vezes de assustadora fantasia, para o mundo imaginário das crianças.

Máscaras
Fevereiro 10, 2008

Dedo no Ar

08/02/04

Há máscaras espalhadas pelas casas, desejos escondidos que se soltam, barreiras proibidas que se saltam e sai-se à rua – disfarçado? – na noite iluminada de permissão com gritos de eu despidos de obediência a normas e preconceitos.

O Mar e o Homem
Fevereiro 10, 2008

O Vento

O mar enfurecido:

– ameaça devorar a terra;

– amedronta os gentios;

– desafia os irresponsáveis;

– entristece os que dele se alimentam;

– assusta as crianças.

Depois acalma-se, afaga os nossos rostos com sorrisos, alegra os nossos olhos com formas graciosas e delicadas, beija os nossos pés com puros perfumes e abraça-nos com laços de algas.

O homem é menos forte, mas mais destruidor com o seu semelhante – é da pequenez e da pobreza humanas!

Regresso
Fevereiro 10, 2008

08/02/03

Reencontro com colegas num espaço comum, acolhimento, saudade! Bem-hajam!