Archive for Setembro, 2012

Estórias de Meninas – Lábios de Gelado
Setembro 11, 2012

Menina

A Menina do Sorriso Grande gosta muito de gelado, mas quando é muito grande, quase como o seu sorriso, e tem uma bolachinha à volta, a marota  vai pintando-lhe os lábios, fazendo-lhe bolinhas grandes na ponta do seu pequeno nariz, desenhando-lhe outros lábios à volta dos seus, grandes, achocolatados com pintinhas de baunilha!

E… a Menina do Sorriso Grande, gostosamente lambuzada, vê-se ao espelho nas águas transparente da praia e descobre, surpreendida:

– Ohhh! Tenho lábios de gelado! Mas… podiam ser de palhaço! Um palhaço que desse gelados a todos os meninos!

Anúncios

A Menina dos Caracóis
Setembro 8, 2012

Flor Lilás Desabrochando, 2012

A Menina dos Caracóis brincava às cabeleireiras com o pai de pouco cabelo, que se sentava e levantava na cadeira do salão, simulando a  prévia lavagem da cabeça, alternando o papel com a filha, recomendando-lhe que fechasse os olhos, perguntando-lhe o que pretendia fazer.

Cansados de tão árdua e repetida tarefa, enquanto esperavam pela sua vez, a Menina dos Caracóis e o pai de pouco cabelo saíram  por instantes, para regressarem, e passarem do faz de conta à realidade com alegria como se continuassem a brincar!

Gente Boa da Minha Aldeia – A Cadeira Vermelha e Preta
Setembro 8, 2012

Barco Branco 8, 2012

A cadeira vermelha e preta queixava-se nas mãos desajeitadas da Sr.ª do vestido preto e cara vermelha do esforço infrutífero para montá-la!

– Olha, é igual à minha! – disse uma menina, que ia a passar, olhando para os pais como quem pede socorro!

Sorridente, o pai da menina aproximou-se da Sr.ª de preto com cara vermelha, oferecendo os seus préstimos!… Depois, outro Sr. parou e também quis ajudar!

A cadeira vermelha e preta, de assento e costas ao contrário, com parafusos fora do lugar, parecia infeliz, tal como a sua dona, que suspirava sentar-se nela a ver televisão, enquanto aguardasse alguma cliente na sua loja, mas rapidamente foi desmontada e depois, de peças no lugar, alindava o passeio e era experimentada pelo pai da menina e pela sua dona, que não se cansava de agradecer sorridentemente comovida!

À Mesa do Café
Setembro 8, 2012

Vestido Branco-Azulado, 2012

À mesa do café, uma adolescente debruça-se sobre as páginas de um pequeno bloco da cor da sua pele, e traça delicada e pormenorizadamente figuras humanas, alheada da  presença e da conversa dos adultos, ouvindo apenas a sua imaginação, ditando-lhe imagens com fundo ora de montanhas, ora de mar, ora com nuvens, mas sempre com o sol a brilhar!

Observo-a e às suas mãos mágicas sem a interromper, perscrutando a sua sensibilidade ao som do seu violino!

O Cheiro a Sardinha Assada
Setembro 8, 2012

Gaivotas nas Redes do Barco, 2012

Abro a janela a pouco e pouco, e sinto a frescura da noite no rosto misturado com o cheiro a sardinha assada – a esta hora?!… Questiono-me silenciosa e sorridente!

À minha frente, perto de um telheiro iluminado, o fumo de peixe assado desprende-se de um enorme fogareiro, envolvendo a silhueta de um homem, que de vez em quando se dirige à animada, ampla e branca mesa com uma apetitosa travessa na mão!

Ao fundo, o mar dorme o seu sono de criança, acariciado pelo pulsar dourado do farol!

Soam vozes fartas de homens e de mulheres entre o tilintar dos talheres e o erguer de copos de vinho – a hora é de festa!

Sofrer e Sulcar
Setembro 7, 2012

A Baía da Praia, 2012

Sofrer também cansa, mas sulcar na transparência das águas vivas da doce paz tranquiliza, revigora, enobrece!