Archive for Agosto, 2010

O Sorriso
Agosto 31, 2010

Palmeiras no Céu, 2010

O sorriso continua a ser a voz silenciosa da alma, a constelação do céu da vida, o abraço de alegria ao mundo – SORRI! Obrigada!

Anúncios

Verdade e Valentia
Agosto 31, 2010

S. Torpes em Agosto, 2010

Não pises o lodo da mentira, nem te instales na cobardia, sê livre, ama a verdade e cultiva a valentia.

Amar por Antecipação
Agosto 31, 2010

Reflexos das Descobertas, 2010

Amamos por antecipação: o sonho que projectamos, a luz que nunca vimos, o caminho que não trilhámos, a vida que não vivemos, o amor que não encontrámos!

Antes do Adeus
Agosto 31, 2010

Transparências de S. Torpes, 2010

Antes da despedida tudo é belo nesta vida.

O Ponto de Exclamação
Agosto 31, 2010

Relvado Marinho, 2010

O ponto de exclamação foi-te atirado por um leão e feriu o teu coração, porque o agressivo rugido não tinha justificação!

A Armadilha
Agosto 31, 2010

Redes na Ribeira, 2010

Não te julgues o maior, porque aquele que imaginas mais pequeno, não é, mas um sábio e mais ágil do que tu e, enquanto teces malhas de maldade para o apanhares, ele sai do teu alcance e tu ficas perdidamente enleado nelas.

Luz e Sombras
Agosto 4, 2010

Caminha na luz e deixa as sombras que encontraste no caminho para trás, votadas à solidão, até que adormeçam, enquanto vives, sorris e danças com música no coração!

Coordenadores-Aprendizes
Agosto 4, 2010

Degraus da Vida, 2010

Os Coordenadores destituídos de conhecimentos e de competências para o exercício de funções nos cargos que gratuita e irresponsavelmente lhes foram oferecidos são meros aprendizes, que ainda não sabem ler, nem escrever, limitando-se a soletrar em voz alta – os pobres convencidos! -, e que rápida e facilmente reduzirão o país que os egrégios elevaram a uma mísera aldeia.

Chorei Contigo
Agosto 4, 2010

Chorei contigo ontem, menino, meu irmão, porque senti fortemente no coração a dor dos teus gritos perdidos na solidão incompreendida do desespero no momento em que te roubaram o teu pai.

Chorei contigo ontem, menino, meu irmão, pela brutalidade da cena que a crueldade dos homens te impuseram, enquanto o arrastavam.

Chorei contigo ontem, menino, meu irmão, pela indiferença e pela força cegas de violência que usaram contigo.

Chorei contigo ontem, menino, meu irmão, porque não conseguias compreender que não era o teu pai que te abandonava, mas os homens que to roubavam.

Chorei contigo ontem, menino, meu irmão, porque o teu sofrimento também era meu e permanece em mim, que te acarinho mental e espiritualmente.

Ternura Invertida
Agosto 3, 2010

O Gama, 2010

Atenção, não te confundas, porque a ternura impregnada na pergunta que te colocaram acerca de outra pessoa, não te era dirigida, mas a ela.