Archive for Janeiro, 2019

O Ser-Estátua
Janeiro 31, 2019

O ser-estátua não vive, não desliza no deleite nas águas calmas, não navega nas intempéries, não iça as velas, respondendo ao vento, nem luta para chegar a porto seguro, seja qual for o tormento!

O Sono dos Medos
Janeiro 31, 2019

Quem adormece sobre os rochedos afugenta os seus medos.

O Concerto da Praça
Janeiro 31, 2019

Na praça cantam os pássaros, toca a banda, brinca a criança, sopram os verdes anos na apagada lembrança, içam-se escadas aladas de bonança, chamam as fontes: pelos sonhos, pelas primaveras, pelos amores floridos de esperança!

O Verão da Verdade
Janeiro 31, 2019

A verdade rompe a escuridão com danças de pião no musgo da ilusão, despertando a aurora nas pedras douradas das marés, abraçando a luz dos pinhais nas renascidas asas do verão!

O Alimento da Sede
Janeiro 31, 2019

A água pura é um salto de nuvem, alimentando a sede com as gotas da chuva.

Sorriso do Dia – A Felicidade
Janeiro 31, 2019

A felicidade é a constante descoberta da cintilação dos cristais do coração, compondo com arco-íris nos lábios de seda e doces repuxos de sorrisos nas secretas notas da mais misteriosa e bela canção!

O Cansaço e o Abraço
Janeiro 30, 2019

Os pés ardem de cansaço, e as pérolas do colar de sonhos suspiram por um abraço!

A Menina Azul – A Língua dos Meus Ovos Estrelados
Janeiro 30, 2019

Teimam os meus ovos estrelados, felizmente um de cada vez, oriundos de galinhas criadas ao ar livre nas terras lusitanas, em falar espanhol desde que avistam a frigideira, e até parecem tocar castanholas quando o guloso “panito” alentejano se aproxima da suculenta e sorridente gema, atrevidamente sedutora!…

Debruçadas nas letras, dançam as gargalhadas da minha amiga Ana, “espanhola de gema”, ora faminta, ora já saciada com os seus dois ovos estrelados… com fatias de pão frito acompanhados, depois de uma enchente de doentes alentejanas e turistas de todos os lados, sem ter sequer tempo para pensar se, na verdade, na Ilha haveria algum pessegueiro semeado!…

Que ninguém admita que a singela ementa representava incultura gastronómica, porque a minha amiga Ana também era mestra de receitas de culinária!

E…

Nesta memória ainda sobressai o seu lindo e franco sorriso, sempre pronto para enfrentar a diversidade da vida, incluindo o apreço por pegar na tesoura, na linha e no dedal, confecionar ou modificar um vestido de noite num ápice, e estar pronta a horas para a uma receção, festa ou jantar, para o seu marido orgulhosamente acompanhar!…

Que nenhum visitante deste blogue se “amofine”, se já leu “aqui” algo análogo, porque o problema é dos linguareiros ovos, mexendo nas penas da saudade!… – Obrigada pela compreensão!

A Célula Familiar
Janeiro 30, 2019

A família, independentemente da sua natureza, biológica ou de coração, é a maior célula da humanidade, quer o Homem a aceite no seu secreto sussurrar com espontaneidade, quer a negue no ensurdecedor bulício da cidade!

O Mistério da Vida
Janeiro 26, 2019

O mistério da vida é a voz do silêncio na dança das palavras com lábios rubros de segredos, tateando montanhas, maresias e planícies, saboreando o baloiço do vento, o calor do sol e o frio da chuva com a força da coragem e a leveza dos medos, plantando flores do meio-dia nos rochedos, sorrindo com a dança do amor, descobrindo a beleza da alegria!