Archive for Julho, 2017

A Bola Artola
Julho 26, 2017

É uma bola artola a que rebola na relva do saber alheio, alimentando o ego e exibindo-se com o que não é seu.

Anúncios

O Arrependimento
Julho 26, 2017

O arrependimento é o arrepiante ranger da irremediável dor, gritando o seu lamento!

O Sorriso do Refém
Julho 26, 2017

Que ninguém seja refém de esperança pintada de baça luz, dissipando-se nas sonhadoras sombras da parede branca orvalhada de tristeza, mas que se sente à mesa da alegria com a candeia da poesia da vida acesa, e sorria!

O Filho Vencedor
Julho 26, 2017

Filho muito bem amado nada teme, e para abraçar o mundo, oferecer e colher sorrisos, lutar e vencer sente-se e está muito bem preparado!

O Procópio e o Pirolito – Portugesmente…
Julho 26, 2017

Pirolito – Ó Procopiozito, sabs porque é que o português mente?

Procópio – Ora, amigo Pirolitozito! O português mente como qualquer gente!

Pirolito – Achas?

Procópio – Acho, sim! Até há quem diga que se mente por amor.

Pirolito – Semente de amor?!… Oh! Eu pensava que se mente por ter grande fartura de sementes de imaginação, que saem pela língua como um furacão.

Procópio – Ah! Ah! Que engraçadinho, Pirolitozito!

Pirolito – Não sou nada, Procopiozito! Eu acho, portuguesmente falando, que português mente, porque apesar do ditado, não tem medo que lhe caia um dente, mas é pena, porque haveria por aí muito desdentado bem identificado, e bués de envergonhado – bem feita!

Procópio – As coisas que tu dizes, papagaio pensador! Tem tino na língua.

Pirolito – Papagaio pensador cheio de humor como os filmes portugueses a preto e branco. Aquilo era um pagode, ouvi o Zé Povinho, já velhino, a suspirar.

Procópio – Aonde ouviste tal, Pirolitozito?

Pirolito – No Jardim da Estrela, ao pé do homem do balões, quando fui lá passear. Mas isso agora não interessa. Estou a dizer a verdade. Reparaste como falei portuguesmente? Disse: “a verdade”, e não verdade.

Procópio – Muito bem, Pirolitozito! A propósito do teu portuguesmente, sabes é a diferença entre: a mulher nova e a nova mulher?

Pirolito – Sei, pois, Mestre Procópio! A mulher nova é aquela jovem que as senhoras enrugadas gostariam de imitar, e a nova mulher é a recente esposa do Dr. Branco, que deixou de chorar a sua viuvez, coitadinho!

Procópio – Muito bem, brilhante papagaio!

Pirolito – Obrigado, Procopiozito-amiguito! Já confortaste a tua amiga Celeste? Estava a chorar. O “Chico esperto” do Possidónio acabou com o namoro. Ela vinha acompanhada do guarda, porque ia sendo atropelada. Deu-me pena! Mas não me caiu nenhuma, e ainda bem, senão com tanta pena que sinto, já estaria depenadinho “dum todo”, alentejanemente falando, e… todo arrepiadinho.

Procópio – Ah! Ah! Pirolitozito-Amiguito, és o máximo! Mas… agora é a minha vez, porque, aqui entre nós, porque português, homem ou papagaio não mente, vamos ao portuguesmente…

Pirolito – Muito bem, Procopiozito-amiguito! Vamos, pois! Sou todo ouvidos, e de mente atenta ao portuguesmente, pois claro!

Procópio – Portuguesmente falando, Pirolitozito, o Possidónio acabou o namoro, e ela vinha acompanhada pelo guarda.

Pirolito – Muito obrigado, Procoipizito! Vou ter mais tino… neste bonito e bem-falante bico! Olha!

Procópio – Estou a olhar…

Pirolito – Que engraçadinho! Até as minhas asas batem palmas! Olha! Achas que quando voltar ao Jardim da Estrela posso ir logo ali… para certificar-me de que depois de ouvir as línguas nacionais de várias cores e ideais, não terei de abrir o bico e deixar o portuguesmente sair debaixo da língua?

Procópio – Ah! Ah! Muito bem! Gosto da ideia e aprovo-a, Pirolitozito!

Pirolito – Nada para dizer! Nada que dizer, portuguesmente falando, Procopiozito! Vamos?

Procópio – Então? Não íamos ao FMM?… À tardinha, já temos música, e eu quero assistir pela noite fora. Espero não ficar mouco!

A Paciência
Julho 26, 2017

A paciência é um saudável estado de resolução em que a razão faz um pacto de caminhar de mão dada com a luz do coração!

A Menina Azul – O Colar
Julho 26, 2017

Era uma tarde amena acarinhada pela brisa marinha.

Uma família passeava à beira-mar: os pais, a filha e a neta.

No sentido contrário, caminhavam a Menina Azul e uma amiga.

Esvoaçaram sorrisos entre os dois pequenos grupos ao avistarem-se.

Cumprimentaram-se!

A Menina Azul, reportando-se aos anos em que o senhor chegara à sua terra e vivia impressionado pelos temporais, principalmente pelo mar enfurecido que desconhecia, dirigiu-se-lhe:

– Faltam os nossos invernos!

– É verdade! Grandes e impressionantes tempestades! – respondeu-lhe, sorridente e saudoso.

A esposa e a filha acompanhavam o diálogo, surpreendentemente sorridentes!

Mas… foi com a jovem mãe que a conversa se estreitou, noutros âmbitos. Olhando para a filha, apresentou-a, orgulhosa, à Menina Azul!

– Já nos conhecemos, mas eras um bebé! Já estás tão crescida, e linda! – retorquiu a Menina Azul, acocorando-se para ficar do seu tamanho.

As bochechas desafiadoras de beijos aproximaram-se curiosas da sua interlocutora. Os olhos morenos observaram-na. Depois, fascinada, a menina estendeu as suas delicadas mãozinhas para o pescoço da Menina Azul, pegou docemente no pequeno e fino fio que ela trazia ao pescoço, segurou contemplativa e demoradamente na medalha e, perante o silêncio geral, declarou:

– Tens um lindo colar! Que lindo colar! Gosto muito!

– O teu também é muito bonito! – respondeu a Menina Azul, olhando para o seu comprido colar colorido.

A menina continuava na mesma posição, ignorando o que trazia ao seu pescoço, com o olhar preso no ” lindo colar”, que admirava.

– Também podes ter um igual ao meu – prosseguiu a Menina Azul, beijando-a.

Os adultos despediram-se com sorrisos, porém, a menina do comprido colar colorido não parecia convencida com a realização do sonho que a Menina Azul plantara no seu coração.

E…

À medida que se afastavam, o comprido colar colorido e o “lindo colar” encontravam-se, olhando várias vezes um para o outro, e acenando…

Sorriso do Dia – Abraçar a Boa Noite!
Julho 26, 2017

Sorriso do Dia é abraçar a silenciosa sintonia do coração na sinfonia das sílabas de boa noite, acordando as pétalas da madrugada com carícias de alegria!

Invenções da Imaginação
Julho 25, 2017

Quem se inventa a si próprio e com o que não é seu se acrescenta, corre riscos de revelação quando olhar para o espelho da verdade e sentir com espanto que apenas tem pés, que nem conhecem o chão!

Sorriso do Dia – A Festa do Coração
Julho 25, 2017

A festa do coração é bater doce e surpreendentemente à porta do amigo adormecido com espigas de alegria, cheirando a pão fresco, quente e fofo do Alentejo, e acariciá-lo com véus de ondas aquecidas com lágrimas esquecidas envoltas em mantos de inefáveis sorrisos, celebrando a dança das palavras com olhos orvalhados de ternura, escutando os pensamentos na sinfonia do rosto encoberto que no silêncio tudo dizia!