Archive for Outubro, 2015

A Pagizinha e as Suas Filhas
Outubro 31, 2015

A Pagizinha

A Pagizinha, como zelosa mãe que é, anda muito preocupada com as suas filhinhas.

Há dias, a Diana não conseguia adormecer.

– Já não sei o que hei-fe fazer com ela! Hoje portou-se mal na escola; bateu num colega, sem razão; teve três bolas!- queixava-se a Pagizinha, levando a mão à cabeça.

Pouco depois, a pequena Diana, muito bem enrolada numa mantinha branca, estava no colo da mãe, que continuava com os seus desabafos:

– Ela é muito teimosa! Nem merece a chucha!

Olhei compadecida para a menina, que tinha os olhos semi-cerrados, mas a bondosa mãe antecipou-se, antes que eu dissesse algo:

– Está com febre. Toma lá!- retorqui a Pagizinha, colocando carinhosamente a chupeta na boca da filha, deitando-a de seguida.

A Diana já fora medicada pela mãe, que olhou para mim e disse:

– Vou fazer sopa de chocolate, que ela gosta muito.

Depois dirigiu-se à cozinha, mas voltou para trás para dar-me um abraço dos nossos e trazer-me à porta como é habitual.

Na passada quinta-feira, quando voltei a casa da minha amiguinha, ela tinha a filha mais nova ao colo.

– Esta é a Rita – apresentou-ma. Faz anos hoje. Liguei-te para vires à festa, mas não atendeste!

Fiquei triste por não ter festejado o seu aniversário com a família, mas combinámos que faríamos um lanchinho brevemente – quem sabe se não será conjuntamente com o da mãe, dentro de poucos dias?!…

Passear e Viajar
Outubro 31, 2015

A  Conjugação da Natureza, 2015

Passeia-se em busca de um novo mundo com o prazer de colher, e viaja-se em missão com o objetivo de plantar!

Sorriso do Dia – A Vida em Ti!
Outubro 27, 2015

Canteiro de Chorões Marinhos, 2015

Solta a força da tua juventude plantada em ti, ou deixa que te revisite… e … amadureça nos teus grandes passos de Gente-Grande, e sorri!…

Faz das pedras casas, das nuvens passarinhos, das vicissitudes arremessos de ondas, da imaginação histórias simples com humor e surpresas, de cada dia que desponta uma boa nova, e sorri!…

Colhe as flores coloridas e perfumadas que encontrares à beira do caminho, e sorri!…

Sente a doçura refrescante da brisa acariciando o teu rosto, e sorri!…

Constrói navios com os raios da estrela dourada brilhando aos teus pés, e sorri!…

Avança com a esperança a cantar confiadamente dentro de ti, e sorri!…

E…

Nas vicissitudes de cada dia, regressa sempre a ti, e sorri!…

A Viagem
Outubro 27, 2015

Barcos de Porto Côvo, 2015

Na tua viagem, sulca as ondas do mar imenso com o biquinho afiado da quilha da tua barquinha, escuta a ave que canta, deixa-a poisar no ombro-mestre, e rasga horizontes, corajosa e destemidamente!

A Troça Perdida
Outubro 26, 2015

Mar Enfurecido-Espumado, 2015

A troça é o bocejo da mente preguiçosa e distorcida, que não entende o percurso da vida!

Caminhar à Chuva
Outubro 26, 2015

Costa do Norte em Três Dimensões, 2015

A chuva pode cair cuidadosa ou copiosamente, mas…

Caminha!

Caminha!

Caminha, saboreando a sua doce frescura, indiferente à sua fúria com passos determinados na calçada molhada que reflete a tua imagem!

Caminha, olhando a tua escalada pintada com lápis de cor, desprendendo flores sorridentes sem que lhes tenhas pedido nada!

Caminha, vendo além das vidraças do tempo, tecendo verdades, defendendo justiças, fazendo das noites madrugadas!

Caminha, traçando arco-íris nas nuvens com asas, voando ao vento entre as heras forradas de tílias!

Caminha, deleitando-te com a chuva que não te molha, com o sol que te aquece, com o livro da vida que se abre, com a árvore que cresce em ti, com a flor que trazes ao peito, espreguiçando as pétalas orvalhadas de beijos, e… Sorri!

Caminha!

Caminha!

Histórias de Fantoches – Um Dia com o João, 4.ª Página
Outubro 26, 2015

O Fantoche João

– Agora não, filho, porque se fizeres barulho, assustas os animais… e se o pirata de perna de pau e olho de vidro e cara de mau acordar assustado, fica de mau humor e pode querer levar os meus meninos no barco para muito longe e depois vocês transformavam-se nuns piratas dos mares.

– Eu não quero ir, mãe! Quando for grande vou ser bombeiro, para apagar os fogos e ajudar nas ambulâncias – respondeu o menino mais velho, o António.

– E eu também não, porque quero ser um grande mecânico como aqueles três irmãos que sabem fazer tudo: arranjam os motores dos tractores, das carreiras, dos barcos, dos carros – afirmou o menino mais novo, o João.

– Mas, se fores mecânico, também tens de arranjar os motores das máquinas e dos carros dos bombeiros – adiantou o irmão mais velho.

– Eu sei, António. Vou arranjar os motores todos como o Mestre Chico. Pirata é que não! Vou já fechar-me no quarto antes que o pirata da perna de pau acorde e me veja.
Eu quero é tentar fazer um motor para aquele carrinho de madeira que o vizinho da Férrea me fez, mas só amanhã, porque o Mestre Chico foi buscar peças para uma máquina a Lisboa.

– E eu? Alguém quer saber o que vou ser quando for grande? – perguntou o menino do meio com um ar triste e zangado.

– Diz lá, Carlos! Já tenho um filho bombeiro e outro mecânico. E tu, o que queres ser? – perguntou a mãe inclinando-se carinhosamente para o menino.

– Olhe, mãe, eu gostava de conhecer o mundo e muitas pessoas, de andar de barco, de visitar muitas terras e de vir passar uns dias à nossa casa, mas pirata não quero ser. Eu até estremeço, só de imaginar um pirata na minha frente a dar gargalhadas iguais aos trovões! Vou esconder-me debaixo da cama! – disse o Carlos, afastando-se.

– E eu tenho de ir buscar os sapatos do pai ao sapateiro, não é mãe? Ontem não tive tempo, porque estive a pôr pregos na casinha das bonecas das manas – respondeu o António.

– E eu vou ficar aqui sozinha? – perguntou a mãe com uma cara aborrecida, sem obter resposta.

(continua)

Sorriso do Dia – O Mais Importante!…
Outubro 26, 2015

Bosque Florido de Outono, 2015

O mais importante é o brilho do teu sorriso plantado à janela florida de maresia, de manjericos e de verbos, regado com a luz da alegria, acordando a madrugada e fazendo da noite dia!

O Despertar de Cada Dia
Outubro 26, 2015

Escultura da Estrela, 2015

Sê brisa que refresca!

Sê barco que navega!

Sê pescador que lança as redes!

Sê árvore que não seca!

Sê pássaro que canta a sua pátria!…

Escuta e… responde!

Assobia e… canta!

Luta e… vence!

E…

Deixa que o sonho te embale no baloiço da manhã perfumada de flores silvestres, e te desperta com hinos de alegria dourada, rompendo a madrugada!

Bailar
Outubro 26, 2015

Bosque, 2015

Bailar todos bailam neste grande e diversificado salão da vida!

Bailam os que gostam e os que não gostam!

Bailam os que sabem e os que não sabem!

Bailam os que querem e os que não querem!

Mas…

Bailar, bailar, de facto, é acertar o passo com a música do coração!