Archive for Maio, 2017

O Senhor da Verdade
Maio 31, 2017

Quem se orgulha de ser o senhor da verdade, vê num simples copo de leite um tremenda tempestade, e morde constantemente a língua contra a sua vontade!

Anúncios

O Templo de Esperança
Maio 31, 2017

O templo de esperança é o espelho do tempo brilhando no mar da paixão com o arco-íris de jasmins, dançando com a flauta do coração!

Aerograma N.º 29 – Duas Notícias, Compadre!
Maio 31, 2017

Estimado Compadrito,

Isto está bonito!

Duas notícias lhe trago:

1.ª Considere que este ano não fez anos, porque, não obstante saber qual é o seu dia, não lhe dei os parabéns. Quem o manda estar tão longe, se gosto de felicitá-lo logo ali, ao virar da esquina? Vamos ter de esperar pelo seu regresso!

2.ª A sua amada filhinha, e minha querida afilhadinha, aquela da bochechinha mais rijinha e rosadinha, anda de calcinha rotazinha, coitadinha! Até me ofereci para fazer ali um bordado, ou remendar com um coração encarnado; ela riu-se, com o seu ar divertido e meio envergonhado.
Também lhe falei que contaria ao seu pai, pedindo-lhe para por aí ficar mais uma semana, voltando, talvez, para o fim do outro mês, com mais uns trocados, em notas, claro, para tratar do caso da perna rota….

Lindo, lindo, teria sido a sua lagriminha a rolar ao ouvir a grande saxofonista a tocar, e… a encantar!

Saudinha, e toca a trabalhar, mas com cuidado, para a sua hérnia não se queixar!

Um beijinho!

P.S.: Aqui tem um olhar sobre a sua praia.

Enriquecer e Empobrecer
Maio 30, 2017

Não esperes dos outros o que não fazes por ninguém, porque, por estranho te que pareça, quem dá de coração, enriquece, e quem só recebe e fecha a mão, empobrece!

Dar e Receber
Maio 30, 2017

Se “Ladrão que rouba a ladrão tem cem anos de perdão”, o que acontecerá a quem muito tem e tudo aceita do sacrificado que se oferece para dar a parte inteira do seu pequeno bocado?!…

A Menina Azul à Beira-Mar
Maio 30, 2017

Lá estava a Menina Azul num banco à beira-mar muito bem sentada, com a sua amiga muito descansada, depois de uma boa caminhada e de, lá longe, a velha voz do mar a ter chamado, e ela, imóvel, respondido-lhe:

“- Cheira-me à minha infância! Cheira-me à minha infância! Cheira-me à minha infância e à minha juventude! Este é o meu mar, o mar que ouvi, o mar que respirei, o mar que senti desde o dia em que nasci!” – proferira, saudosa e emocionada, inspirando prolongadamente, fechando os olhos!…

” – Eu adoro! Adoro!” – dizia a amiga-coração-de-África, encantada há muito com este pedaço de mar alentejano que a acolhera e à família, adotando-os como filhos queridos!

” – Esta é a cor do meu mar, um mar forte, um mar profundo, um mar-homem!” – continuava a Menina Azul, antes de voltar a dar corda aos atacadores dos ténis, e a amiga, os quais as trariam até à praia.

Praia de luz na transparência turquesa das suas águas, brincando com as ondas que arremessava aos pés das amigas, visitantes habituais, deleitando-as com as suas carícias, embalando uma jovem nadadora e dois homens, dispersos, fora de pé, e ela, no fulgor dos seus verdes anos, brilhando para além das bóias com a sua touca, quiçá coroa de sereia-rainha!…

A Menina Azul e a amiga percorreram a praia, e voltaram para trás, desprendendo-se, a custo, das delícias marinhas!

Mas…

Ainda usufruíam da sua beleza, no banco, de pernas estendidas e pés-croquetes, os de princesa na quietude e os outros, movimentando-se como se estivessem a coser à máquina, dando ao pedal, para a areia secar e ser mais fácil limpar, ambas fazendo pontos de pespontar na graça que ainda estavam a desfrutar, sorrindo para o dia em que uma ia caindo, por falta das costas completas do moderno banco, e… por que, mais uma vez, a outra, descontraída, calçava uma meia no avesso, desafiando a crença popular se seria sinal de presente, além do que um passarinho deixara cair, nessa tarde, sobre a sua blusa, perto do ombro…!

Empréstimos do Coração
Maio 30, 2017

Não dites palavras de amor a quem não as sabe dizer, porque não cabem no seu coração, não vá alguém desconhecido apaixonar-se por ti refletida(o) noutro ser, e um dia sofrer, ao descobrir que não são de veludo os versos do seu poema de amor, nem de mel os seus lábios docemente salgados, nem tecido de brocado o silêncio de papel que, ilusoriamente, tem a seu lado!

Uma Menina Linda – A Realização de um Sonho
Maio 30, 2017

A Menina Linda continua uma linda pessoa, sorridente, solidária, vencedora!

Traz consigo o prazer de um regaço, acolhendo os saudosos anos que passam, desabrochando a criatividade florida das suas puras e generosas mãos, tecendo com coloridos e subtis arco-íris: bonecas a sorrir, que apetece abraçar, presépios de renascer almas, que apetece ficar a contemplar, roupinha para bebés com malhas de ternura, que apetece acariciar, tudo confeccionado com um carinho especial, daqueles de quem conhece o destinatário, a esperança, a alegria que lhe vai proporcionar!

A Menina Linda continua uma linda pessoa, sorridente, solitária, vencedora!

Traz consigo a grandeza do amor e do perdão, no bom trato com quem um dia lhe roubou o coração e com quem ocupou o seu lugar, dissolvendo o seu sonho de menina-mulher, votando-a à solidão que o seu generoso e grandioso coração de mãe enriqueceu com a graça do seu menino-homem, afetivo, inteligente e lutador como ela, como se em si tivesse sido gerado, traçando projetos e alcançando metas de capa e batina pendurados com os dolorosos bolsos vazios de poupanças onde os parcos recursos não chegavam, mas ora conquistados, e à beira de o maior sonho da sua vida ser concretizado.

A Menina Linda continua uma linda pessoa, sorridente, solitária, vencedora!

Traz consigo a esperança de honrar a memória dos pais com a sua habitação, e de deixar de andar a horas, sentindo já a saudade da comadre e dos amigos nos habituais percursos do autocarro onde abraça e é abraçada por todos com o seu carinho e a sua animação, mas permanecerá ativa nos seus programas pessoais, manuais e nos sociais, da nossa aldeia onde todos a respeitam e reconhecem, e brilhará sempre na sua história aquela a quem o seu compadre Esu a intitulava, como à sua muito amada filhinha: Pérolas da Ribeira de Cima!

Manta de Retalhos
Maio 29, 2017

Sê uno, inteiro na casa do ser e na nudez da tua verdade, sem te agasalhares numa cobiçada manta de retalhos colhidos em atalhos por ti desconhecidos, mas que te foram emprestados!

E…

Cuidado, porque um dia alguém vai descobrir, que dos alheios retalhos não te sobra nenhum bocado!

O Salto Alto e a Recompensa
Maio 29, 2017

O salto alto, que não era a medida do teu sapato, desequilibrou-se, e o falso príncipe que to calçou, sem dar-te a mão, se afastou, e o chão que gentilmente te acolheu, recompensou-te com uma linda flor que te ofertou!