Archive for Abril, 2018

A Dança das Palavras
Abril 30, 2018

A dança das palavras é um véu esvoaçando no brilho do nascente, rodopiando nos braços do vento quente, poisando de bicos de pé nas pedras dos rios molhadas de sabão, escorrendo nos cansados braços frios, mergulhando, ao poente, sonhos de imagens com sorrisos e calafrios!

As Estórias da Tó – Os Mandados Esquecidos
Abril 29, 2018

A Tó conta que, ainda criança, ocupava-se a fazer mandados para uma senhora muito boa, comadre do seu pai, e dona de uma pequena taberna onde reinava o respeito, que o próprio marido impunha no regresso do seu labor na construção civil.

Todos os dias a menina tinha mandados para fazer e quanto mais distantes os estabelecimentos, mais divertida era para ela a repetida cantoria do que teria de trazer, a qual acompanhava com divertidos saltinhos e danças por ela inventadas, dando largas à sua criativa liberdade.

Mas…

Quando a Tó chegava à porta do estabelecimento do Sr. Primoroso, parava, silenciosa e pensativa, voltando à realidade quando ouvia a repetida observação:

” – Esqueceste-te outra vez! Diz lá, então, o que a “ti´” Delfina te mandou vir buscar!”

“- Esqueci-me, pois, Sr. Primoroso! Foi por repetir tantas vezes! A minha cabeça não se dá com estas coisas, como a comadre diz para eu fazer. Amanhã, ou mais logo, vejo calada! Mas… se não canto, como posso dançar para cá chegar?!…” – declarava, expedita, a menina, pedindo o que lhe ocorria.

E…

Ao regressar, a Tó apresentava o mandado, que não correspondia ao solicitado, mas que… “até faz jeito”, como dizia a “ti´” Delfina, sorrindo docemente!

A Perda da Comunicação
Abril 29, 2018

A perda da comunicação é a limitação dos sentidos: a mudez do medo, a altivez dos falsos juízos, a surdez dos ais batendo, em vão, à porta do coração!

Saber Ler
Abril 29, 2018

Saber ler é soletrar o poema do verbo viver, saborear o sol das sílabas na boca a crescer, beber a água da manhã orvalhada no vaivém do espaço, abrir os braços nos suspensos regaços!

A Sintonia do Coração
Abril 29, 2018

A fina sensibilidade da mãe que sente o seu bebé a mexer-se na caminha do quarto ao lado, estará para sempre ligada ao ser do seu ser, quer ele cresça, seja homem ou mulher emancipado, a sorrir ou a sofrer onde quer que se encontre instalado, porque a voz do coração não tem dimensão, nem fronteiras, mas a perfeita sintonia da natureza na tristeza e na alegria!

A Minha Aldeia e a Festa de Aniversário
Abril 28, 2018

Na minha aldeia festeja-se a Liberdade com a Música, trazendo alunos e professores à rua de cravo vermelho na lapela e instrumentos pesados, leves, de pés fixos, vestidos de meninas e de meninos, trilhando vários níveis de ensino, acariciados com dedos ou beijados com lábios de romã, ou vozes finas, percorrendo a história do campo, cantando para tornar mais leve a labuta e apressar o tempo, soando também a Zeca Afonso!

Na minha aldeia a orquestra é um abraço da arte, a dança das ondas tocando o céu no voo planado das gaivotas de olhos fechados como alguns espectadores escondidos sob os óculos escuros, a simbiose do silêncio da vegetação humana escutando o acordar da esperança na conjugada sintonia dos ecos dos dois maiores concelhos do país com o doce ondular do mar vivo do Norte…

E…

Pasmados de emocionados olhares dilatados sobre os pequenos-gigantes netos e bisnetos, ouvia-se antes do beberete como um assobiar saudoso da locomotiva perdida no tempo, deixando para trás as pegadas escondidas no ranger dos aposentados carris:

“- Aquilo foi uma coisa por demais! Os mocinhos e as mocinhas, ainda tão novinhos e já tocam daquela bela “manêra”, e os pequeninos cantam que é uma beleza! Eu nunca tinha visto uma cosia assim!”

” – Isto é como as pessoas, “comadri” – respondia o interlocutor. Cada um tem a sua riqueza e a “nã” me venham cá dizer que as artes são só para as grandes cidades! “Atão” não há gente boa em todo o lado?” Lá isso é que há, sim senhor!”

Virtuosos
Abril 28, 2018

Há amigos com asas de anjo no coração!

Há conhecidos com mãos-cheias de gratidão!

Há desconhecidos que nos estendem a mão!

Há profissionais que nos prestam atenção!

E…

Há monstrozinhos bem parecidos, atirando-nos para o chão! – pensam eles!

A Estrela da Inocência
Abril 28, 2018

A inocência é uma estrela florida brilhando na madrugada, fechando à noite escura a porta escancarada!

Gente Boa da Minha Aldeia – A Senhora do Fato Mudado
Abril 28, 2018

Já não traz o casaco vermelho, nem o salto desequilibrado, a senhora do fato mudado!

Mudou os tons para níveos, combinando-os com o seu sorriso escancarado!

Lá vai ela, a senhora elegante de fato mudado, risquinhas discretas e dispersas como o seu caminho traçado!

Falam os seus lábios carnudos, desenvoltos, em vez de encolhidos pela idade, fechando-se um pouco quando se refere ao seu ninho onde o seu passarinho passa o dia deitado!

Lá vem ela, a senhora elegante de fato mudado, primavera risonha andando apressada no salto moderado, com as suas notas, voando: ” Vou ali fazer um recado!”

A Discreta e Determinada Força
Abril 28, 2018

A prepotência dos falhados empurra os fracos para os trilhos indesejados, mas não os arranca dos seus secretos sonhos, nem dos projetos por si traçados, nem dos objetivos ainda não alcançados!