Archive for Abril, 2019

A Luminosa Canção 
Abril 30, 2019

Alma e coração são a letra e a música da mais bela e luminosa canção!

Sorriso do Dia – O Teu Ser em Mim
Abril 30, 2019

Há colos nos teus dedos de embalar, e vozes de búzios a cantar, trazendo-me o mar quando corres para mim, abrindo os braços, e me elevas no ar.

O Tema Felicidade na Pequena Sala de Espera
Abril 30, 2019

Era um grande e delicado tema, a Felicidade, o que se debatia na televisão, interligando quem aguardava na pequena sala de espera.

Três senhoras, três gerações e a sintonia do que não era um pregão, mas a vida que se escondia na tristeza e nos sonhos de uma amanhã que não existia, sufocando a voz da felicidade, que a todos sorria como bagos de areia de uma longa e deserta praia, que os pés aquecia e o corpo movia.

Surgiu no écran uma escritora, que ninguém conhecia, e que apelidava de “pobres de espírito” as pessoas que se dizem felizes, sentimento que ela só sentia quando estava com os netos ou escrevia.

Veio “à baila” na pequena sala de espera os domingueiros programas de animação em que a alegria do povo vem à rua e dança, e canta, e brinca, também nas romarias e em tantos eventos, muitos carregados de história /cultura local e nacional em que, em boa companhia, se festeja a vida e se deixa desabrochar na sua subjetividade sílabas de felicidade!

E…

Também entrou na conversa a cultura da paz interior, segredo da alma, o silêncio bebendo as fontes da linguagem, e a sintonia amadurecida com a diversidade da natureza, a certeza de que a vida é hoje, aqui e agora e que há que abraçá-la, as pessoas, as oportunidades, dizer sim ao bem e ao bom, sem adiar, porque onde existe o Amor habita a Felicidade a pulsar, a cantar baixinho ou a dançar como o mar num reino em que as (des)semelhanças se entrelaçam com pétalas orvalhadas de luz, e nos lábios florescem beijos falantes, derretendo sementes de sorrisos no espaço a saltar.

O Amigo-Mudo
Abril 30, 2019

O amigo mudo é o mais procurado: alguém que ouça tudo e fique muito bem calado como um aluno amedrontado de cabeça baixa, escrevendo as palavras do severo professor sem fazer erros no ditado.

Histórias de Meninas – A Menina do Totó Verde
Abril 30, 2019

A cidade grande sorria no andar descontraído da Menina do Totó Verde, desafiando a madeixa rosada caída ao lado da orelha direita, de olhos postos na ligeireza da cor neutra da saia comprida repuxada pela amostra da anca.

Nos pés de princesa, rentinhos à polida calçada, os frescos chinelos de enfiar no dedo com unhas pintadas de cores salteadas espreitavam o que se passava na estrada.

Pendia num dos ombros da blusinha de bolinhas salteadinha um cordão de algodão preso a uma singela bolsinha de pano escuro com uma garrida flor bordada.

A Menina do Totó Verde chegou à paragem do autocarro, olhou para mim e saudou-me com um doce sorriso de bom-dia sem hora marcada, brilhando na seda da pele do seu rosto miudinho, de laranjinha como poderia dizer o poeta, ou outro fruto, mas que se me afigurou de cristal, em cujo narizinho uma “anelzinho” de metal a uma narina se segurava. E o Alentejo de cheiro e sabor a maresia também lhe sorria com empatia.

Na magia daquele momento continuámos a olharmos-nos num secreto silêncio como alguém que já se conhecia e que há muito que não se via!…

Passou um autocarro; parou outro, e a misteriosa e encantadora Menina do Totó Verde perguntou-me e insistia gentilmente como quem chama por alguém: “Não entra? Não entra? Não entra?”

E…

Contrafeita com o meu: “Não, obrigada!”, a lente Menina do Totó Verde entrou sozinha, ficando a olhar para trás como quem se despede de um inesperado desconhecido, perguntando-lhe na inocência de uma criança : “Porque não vens comigo?!..”

O Calor dos Bancos de Escola
Abril 27, 2019

O calor dos bancos de escola permanecem pela vida fora, trazendo memórias de festa e inocentes sorrisos guardados no florido canteiro da feliz sacola!

Os Ecos da Frustração 
Abril 27, 2019

A perversa exclamação perante um desgosto ou quando alguém é empurrado ou cai no pontiagudo chão da desilusão, ecoando:”Eu já sabia!”; “Eu não disse?”, não é a consolação necessitada, nem a compreensão esperada, mas a clara pobreza vestida de vaidade, revelando a frieza de uma vítima da amarga frustração!

A Busca da Rota Perdida 
Abril 26, 2019

Na aridez dos teus passos buscas o longínquo eco das marés no adormecido vulcão do teu coração, e a seiva das palavras, brincando com a tua mão!

O Novo Voo
Abril 26, 2019

Sacode o peso das ondas amarguras das tuas asas, enche o peito de brisa salgada, e voa em busca da nova morada!

O Exílio 
Abril 26, 2019

Não te exiles na confusão do teu ser, se queres viver, e Vencer!