Archive for the ‘Dedo no Ar’ Category

O Perigo
Maio 19, 2019

O perigo persegue as asas das colinas orvalhadas de melancolia, bordando de solidão as sílabas de verão escritas nos muros pela tua trémula mão, saltitando com os secretos sussurros de uma canção.

Ausência
Maio 19, 2019

Ausência é vazio anunciado do espelho quebrado no colar de sonhos desmanchado!

Perdida na Madrugada
Maio 19, 2019

Perde-se na madrugada a esperança quebrada na nudez das ondas do tempo sem escutar as vozes dos búzios, dançando nos vestidos rasgados de floridas toadas!

A Raiva
Maio 19, 2019

A raiva é a dor ensanguentada de cega vingança de quem chora, grita, agride, agredindo-se, perdido na escuridão magoada de quem julga e revolta-se sem saber nada!

A Luminosa Canção 
Abril 30, 2019

Alma e coração são a letra e a música da mais bela e luminosa canção!

Sorriso do Dia – O Teu Ser em Mim
Abril 30, 2019

Há colos nos teus dedos de embalar, e vozes de búzios a cantar, trazendo-me o mar quando corres para mim, abrindo os braços, e me elevas no ar.

O Amigo-Mudo
Abril 30, 2019

O amigo mudo é o mais procurado: alguém que ouça tudo e fique muito bem calado como um aluno amedrontado de cabeça baixa, escrevendo as palavras do severo professor sem fazer erros no ditado.

O Calor dos Bancos de Escola
Abril 27, 2019

O calor dos bancos de escola permanecem pela vida fora, trazendo memórias de festa e inocentes sorrisos guardados no florido canteiro da feliz sacola!

Os Ecos da Frustração 
Abril 27, 2019

A perversa exclamação perante um desgosto ou quando alguém é empurrado ou cai no pontiagudo chão da desilusão, ecoando:”Eu já sabia!”; “Eu não disse?”, não é a consolação necessitada, nem a compreensão esperada, mas a clara pobreza vestida de vaidade, revelando a frieza de uma vítima da amarga frustração!

A Busca da Rota Perdida 
Abril 26, 2019

Na aridez dos teus passos buscas o longínquo eco das marés no adormecido vulcão do teu coração, e a seiva das palavras, brincando com a tua mão!