Archive for Novembro, 2018

A Ingratidão e o Perdão
Novembro 16, 2018

O perdão é a luz ocultando a escuridão da ingratidão na plena dimensão do abraço do coração!

A Transparência da Máscara
Novembro 15, 2018

A tua máscara de cetim fala de ti e não de mim como o papel mata-borrão absorve a tinta-permanente, mas não apaga as letras enganosas, nem as escritas com o coração.

A Pobre Pavoa!
Novembro 15, 2018

A pavoa humana abre a roda do leque, exibindo todas as garridas cores da vaidade, pintando olhos do que só ela vê, pavoneando a mentira com o que auto-apregoa, acreditando que é verdade, as palavras maltratadas atiradas à toa!

A Mão-Amiga
Novembro 15, 2018

Na hora da despedida desfaz-se a dolorida encruzilhada, e jorra a calorosa água da invisível mão-amiga, que à nossa esteve sempre agarrada, árvore florida à beira da estrada!

Histórias de Fantoches – Conversa com Bia, 1.ª Página
Novembro 15, 2018

Caros Leitores,

Esta história, e outras, de fantoches, como: A Gabriela, A Margarida, O Professor, A História da Avozinha, As Recordações do Sr. José, Um Dia com o João, A Ritinha, A Liliana, A Mariana, As Aguarelas do Júlio, Folhinha de Hortelã, que alguns de vós tiveram oportunidade de ler nas Estórias da Carochinha, nasceu de um projeto de uma amiga, que construiu as personagens com papel, vestiu-as e adorno-as, deu-me dicas para o tipo de narrativa, interativa e didática, e objetivo temático pretendido.

Partilho convosco a história Conversa com a Bia, atualizada, aumentada e mellhorada, adequada a este contexto!

Trata-se de uma história simples direcionada para crianças, que espero adoce o gosto de todas as idades!

Muito obrigada pela vossa visita! Voltem sempre!

Maria do Mar

– Olá! Eu sou a Bia. E tu, quem és?

– Olá, Bia! Eu sou o Pascoal! Tens umas pintinhas na cara.

-Tenho! Já reparaste? Toda a gente diz que são muito giras; chamam-se sardas.
Sou alta e magrinha, mas tenho o rosto muito redondinho, o meu cabelo é castanho e uso sempre tranças, ou melhor, trancinhas, porque são fininhas, por isso faço uns totós enrolados e ponho-lhes uns lacinhos com as fitas que encontro na caixa de costura; dá trabalho, mas eu gosto assim, e os meus olhos são castanhos-claros, um pouco esverdeados, ao sol, mas às vezes gostava tanto que fossem da cor dos da minha mãe!
Como é que tu és? Queres dizer-me como se estivesses a ver-te ao espelho?

– Hum! Está bem! Sou gordinho, mas pouco, acho que cheiinho, como diz o meu avô, tenho faces rosadas, os meus cabelos são encaracolados e alourados, e os meus olhos verdes; “parecem um lago”, dizem algumas pessoas!

– Eu nasci no dia de Natal, 25 de Dezembro, como o Menino Jesus, por isso os meus pais decidiram que o meu nome seria Natália, mas como não havia nenhuma menina na família chamada Maria, fiquei Maria Natália, e toda a gente passou a tratar-me por Bia, em vez de Maria.
E como te tratam a tua família e os teus amigos?

– Ai, Bia! Eu nasci num Domingo de Páscoa, por isso puseram-me aquele nome, mas sou para todos o “Pasquito”. Ainda bem que ninguém se lembra de chamar-me, por exemplo, Pasfolarzito, por causa do folar de Páscoa!

– Ah! Ah! Que giro, Pasquinho! Olha, fazes uma covinhas nas bochechas quando te ris!

– Isso não é nada, Bia, mas há quem ache graça. Vá lá, continua a tua apresentação. Como são os teus pais?

– O meu pai é muito alto, magro e sorridente; chama-se Domingos, e a minha mãe é baixinha, a pele dela é muito branquinha e tem os olhos da cor do céu nos dias de Verão, iguaizinhos; o seu nome é Madalena.
E os teus pais, Pasquito?

(continua)

As Palavras de Água
Novembro 8, 2018

As palavras de água regam as folhagens da respiração de quem te dá a mão na minúcia dos dias luminosos, no murmúrio dos silêncios tenebrosos, no doce perfume dos segredos amorosos!

Sorrido do Dia – A Festa da Vida
Novembro 8, 2018

A festa da vida é abrir os braços com um mil flores de meio-dia ao peito, beijar o mundo com um sorriso no olhar, colocar poemas nos lábios, e cantar, soltar uma vontade destemida de vencer, partilhar e… Amar, Amar, Amar!

O Avô Contador de Histórias e o Dia de Todos-os-Santos
Novembro 8, 2018

O Avô Contador de Histórias festejava o Dia de Todos-os-Santos com um “mata-bicho” especial: um copinho de aguardente comprada na “venda” – taberna – da sua comadre Delfina, a quem os seus descendentes não afilhados tratam por tia; figos secos guardados em casa desde a feira de Agosto, e batatas-doces assadas…

À noite, quando os filhos já estavam deitados, o Avô Contador de Histórias dava-lhes sempre um miminho.

Dirigia-se, alegremente sorrateiro, aos respetivos quartos, os dos “moços” e das “moças”, as quais já sabiam que não podiam brincar às bicicletas sob risco de serem apanhadas e penalizadas…

Depois, perante os seus olhares expectantes, brilhando na chaminé dos candeeiros a petróleo, das suas enormes, firmes e calejadas mãos, onde o cheiro a pólvora da guerra se dissipara, distribuía amorosamente: dois ou três figuinhos para cada um, batatas-doces assadas, e para sua grande honra, o direito a molharem os lábios – “o bico” – no copinho de aguardente!

E…

Os filhos do Avô Contador de Histórias, indiferentes ao decorrer dos anos, não obstante já sentirem a sua manifestação quando dobram os joelhos, e as “meninas” já não possuírem as encantadoras e tentadoras pernas de “misses”, celebram alegremente esta memória, que consigo transporta o deleite de outras, ricas na sua imensa simplicidade!…

O Retrato do Amanhã
Novembro 7, 2018

O amanhã é um esboço traçado com um biquinho tão fino, que quase não se vê, ou o vento dissipa, ou o pé bailarino da ondinha bebé apaga!

O amanhã é a pegada que deixas hoje, a marca real do dia que te acaricia na madrugada e te beija quando a noite ainda está acordada!

Sorriso do Dia – A Fantasia da Criança
Novembro 7, 2018

Sorriso do dia é a fantasia da criança que, enamorada de um balão, saltava e ria, chamando atrás de si um alegre cãozinho, que não a conhecia, nem ela o via!