As Estórias do Esu – “Não Infetar Casos”

Menino do Mar

O Esu, um homem habituado à rudeza da vida do mar desde criança, um fomentador da generosidade e opositor da ganância, um semeador da paz, distinguindo o essencial do fútil e o bem do mal, quando se deparava com a iminência de uma discussão, ou o aflorar de um desentendimento, ou o desencadear de uma situação de conflito apelava com a sua serena e simples sabedoria ao bom senso e à harmonia.

E…

Pausadamente, entre o apertar um grosso nó de uma salgada corda, um desemalhar de um aparelho, um remendar ou entralhar de uma rede, dizia e redizia:

“- Não infetes casos!”

Haverá maior prudência perante uma dor, ferimento ou sofrimento, físico ou psicológico, do que não a/o agudizar/infetar?!…

There are no comments on this post.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: