A Menina Azul – Despedida da Noite Esquecida

A Menina Azul

Era uma noite fresquinha e dois pequenos candeeiros de um rosto miudinho fitando o firmamento da praceta num piscar dançante de três estrelas, escutando o silêncio no baloiço da roupa estendida, em busca das saudosas árvores prometidas, de cotovelos afundados num “chouriço” defensor das imprevistas invasões do atrevido vento sul!

Do outro lado da rua, a luz dourada desnudava uma senhora cansada debruçada sobre uma tábua de engomar sempre com o solitário braço a dar, a dar, a dar!…

Cheirava a sopa fresca e a maçã assada, dissolvendo-se na despreocupada atmosfera molhada.

Dois corações a pulsar num só abraçaram a janela com mel, sol, flores com voz de poeta, e olhos vivos e sabedores, brilhando de alegria de dois grandes amores.

Já não havia luz para além daquela vidraça e as estrelas, também elas cansadas, adormeceram…

Quando o dia acordar, é preciso: Recomeçar, Caminhar, Correr, Saltar, AMAR sem parar!

Advertisements

There are no comments on this post.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: