A Errância do Nada

Sintonia Dançante, 2015

As paredes choram as dores dos corações desfeitos pelas inocentes vidas roubadas, as flores vestem-se de noite à procura da madrugada, e as andorinhas perdem as penas no mar revolto de tristeza ao ribombar do homem primitivo, disforme, cruel, pedra perdida da ilha, errância do nada!

Anúncios

There are no comments on this post.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: