O Vigor e o Pavor da Idade

A Eterna Serenidade, 2013

O vigor da idade é a serena determinação, a lucidez e a autonomia de noventa e dois anos numa sala de espera de um hospital num rosto bem barbeado, numas calças a condizer com a restante indumentária, numa pequena bolsa de trazer ao ombro com o nome da Vila Morena, é o silêncio oportuno do olhar sábio, é o erguer cedo da cama, às quatro e tal e fazer tudo sozinho, é o passo firme e as mãos sem sinais de artroses, é a sorridente, simples, salutar, grata e consciente declaracão:

” – É bom estar cá, chegar até aqui e gozar de saúde, tomar conta de mim sozinho sem incomodar ninguém, graças a Deus!”

O pavor da idade, dos mesmos anos contados, é o medo de adormecer e não acordar, de senti-la a rondar, de ter dores e dores sem parar, apesar da mobilidade, do lenço de todos os anos na cabeça, da memória da sua voz feminina rodeada por duas senhoras-meninas que trouxe ao mundo, é o palpitar do coração dividido entre o peso da idade, acha ela, que a faz temer o que não quer partir, em vez de ficar!

Anúncios

There are no comments on this post.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: