O Calcanhar de Boca Aberta

Flor à Beira-Tejo, 2015

Era um Sr. distinto, visto de costas, um pouco calvo, discursando, gesticulando, caminhando, e… parando!

Era um Sr. modesto no andar e no comunicar, escutando, concordando, sorrindo, caminhando, e… parando!

Era um par de sapatos castanhos desbotados com as capas muito gastas e desequilibradas no lado de fora, e um calcanhar escancarando a distinta boca desdentada, sorrindo para a estrada!…

E…

Era uma criança puxando pela sai da mãe, e apontando, aflita, para a boca escancarada, pedindo-lhe baixinho:

– Mãe, vamos devagar, senão o calcanhar dá-me uma dentada!

There are no comments on this post.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: