Archive for Dezembro, 2015

O Jogo da Rocha com a Gaivota
Dezembro 29, 2015

A Rocha-Animada, 2013

Quando as ondas grandes dormiam, os homens ressonavam, e o sol ainda não se tinha espreguiçado, a rocha ladina, de olho e boca abertos, começou a atirar água para a gaivota, que logo, logo, não gostou da brincadeira.

Depois de ter-se sacudido e fingido que fugia, deixando a rocha sozinha e triste, a gaivota começou a cantar, a bater as asas e… a aproximar-se!

A rocha ficou tão contente, que deu um mergulho e, ao emergir, soltou um espirro tão grande, mas tão grande, que a pobrezinha da desprevenida gaivota foi projetada para mais longe, e… bateu com o bico dentro de água, engasgando-se!

Então, a assustada rocha, chamou pelo vento, para soprar na cabeça e no dorso da aflita gaivota!

O vento ajudou a gaivota, retirou-se, e ela convidou a rocha:

– Vamos brincar à apanhada? Já sei que és prisioneira do mar, mas… podes tentar apanhar-me com jactos de água. Queres, rocha-amiga?

A rocha respondeu-lhe, após um breve silêncio, em que tomou fôlego para se recompor do susto, atirando-lhe suavemente espuma, obrigando a gaivota a fazer piruetas à sua frente!

Uma menina que ali chegou de mansinho, depois de ter deixado a mão do avô que descera pelo lado oposto com uma cana de pesca ao ombro, sentou-se e ficou a arbitrar o jogo da rocha com a gaivota, em silêncio, para não as assustar e poder assistir ao fantástico espetáculo…

A Pagizinha e o seu Supermarcado
Dezembro 29, 2015

A Pagizinha

A Pagizinha é uma menina muito atarefada, e diversificada nas suas tarefas!

Há dias, quando o calor do Natal beijava todas as pessoas, e o cheiro a pastéis que a sua mãe fritava me convidava a entrar, antes ter tocado à campainha e de a minha amiguinha e o pai me abrirem a porta, tinha o seu supermercado montado num cantinho da cozinha, junto à janela!

Criativa como é, a exposição dos diversos produtos, encontrava-se organizamente à disposição de qualquer cliente sobre um balcão-tábua-de-engomar, ao seu nível!
Mostrou-nos, identificando-os com o dedo e elogiando-os, contudo…não dispunha de tempo, nem… de dinheiro na altura, o que justifiquei, perante o olhar entristecido da linda e expedita vendedora!…

Saí entristecida, mas esperançada de que, depois do jantar, ela ainda conseguisse vender alguma coisinha… – será?

Sorriso do Dia – A Arte de Amar dos Olhos de Luz
Dezembro 29, 2015

Hortênsias Rubras, 2013

Nascem flores nos teus passos áureos de amor, discretos de dedicação e grandiosos de generosidade, que só os olhos do coração percebem, sentem e seguem!

E…

Serás sempre superior na tua arte de amar!

A Grandeza do Coração
Dezembro 29, 2015

Carícias de S. Torpes, 2013

A grandeza do coração é o acolhimento da alegria nos sorrisos, e o abraço na dor com as carinhosas cores do arco-íris da compreensão nos beijos das palavras e nos gestos pausados de silêncio, sem a ostentação da comparação!

A Teimosia e a Persistência
Dezembro 29, 2015

Recortes Distintas na Tela da Natureza, 2013

A teimosia é a contínua e babada birra de criança, é a embriaguez de querer ser um sempre-em-pé, mas… caindo constantemente, confundindo as cores, misturando os sabores, estragando os humores na confusão dos sentidos!

A persistência é a firmeza e a constância da inteligência em qualquer estação, sem precisar da aprovação: “Tem razão!”, percorrendo caminhos, e atingindo metas saudável e sabiamente!

O Pião da Primeira Pessoa
Dezembro 29, 2015

A Bravura do Mar da Terra do Gama, 2013

A primeira pessoa é o rodopiar permanente, teimosa, ignorante e cegamente estonteante do “EU”, perdendo os sentidos do mundo que não é seu, afundando-se na nostalgia da areia na praia da solidão onde não há lugar para o eco dos gritos desesperados da sua teia!

As Lágrimas de Ouro
Dezembro 29, 2015

Lágrimas Espumosas de Mar, 2013jpg

Lágrimas de ouro são as que chovem do coração, estrelas de dor com mãos cheias de flores com folhas falantes, procurando a tua mão!

A Balança da Generosidade e da Humildade
Dezembro 29, 2015

Diálogo de Rochas, 2013

A generosidade dá-se, a humildade aceita, e ambas são o fiel da balança nas relações da humanidade: num prato, a graça e o crescimento; no outro o acolhimento e a partilha, ambos orvalhos das essências das pérolas do puro amor!

Amor à Vida
Dezembro 29, 2015

Castelos-Turquesa, 2013

Amo as árvores cujas raízes transformam os passeios e as estradas em pontes onduladas, desconcertando os passos dos meus delicados pezinhos!

Amo o vento frio e forte, despenteando-me, arrefecendo-me o rosto, beijando-me os lábios de mar salgado, entupindo-me o nariz, engrossando a minha voz!

Amo a vida risonha e triste, despertando o dia quando é noite, despindo a verdade nas curvas e contracurvas dos caminhos, negando-me o tempo das flores de meio-dia quando já é sol posto!

Mãe e Pai de Coração, uma Sublime Benção!
Dezembro 19, 2015

A Dália Rosa, 2013

Mãe e pai de coração, os vossos corações teceram com os mais finos e fortalecidos fios de amor um berço onde se formou o mais belo embrião, que foram beijando com terna luz no sagrado poema da vida, que o transformou de regato em riacho, de riacho em rio, e que foi regando os bosques por onde passavam e brincavam, e corriam como passarinhos, num mundo de sonho real, até chegarem ao mar grande, turquesa, abundante de puras essências, repassadas de caloroso carinho no deleite da partilha dos vossos regaços, num infinito abraço!

E… desde o primeiro dia de todos os dias da mais bela e grata benção, deram-lhe uma herança, a melhor: os vossos corações dentro de um livro onde o Menino-Caminho-Verdade- Vida vos guarda, e vos ensina a ler nas palavras de verão bordadas de esperança a abundância de cada dia, e a trilhar os caminhos de luz na festa da vida!

E… com sorrisos de Pais-Amor-Amados dão-lhe as vossas mãos, e contemplam gratos o embrião feito árvore-grande com tantas folhas, respirando sinfonias na dança dos dias, e com tantas flores perfumadas de alegria, transformando o esparso orvalho das pétalas em pérolas azuis-estreladas, e com tantos, tantos frutos com cara de menina a sorrir!…