As Brincadeiras da Nita e do Nito – Um Dia na Aula (continuação)

A Janela da Muralha

 

– O dia 31 é um dia  cheio de sol, e de força: nas mãos para escrever, para abrir um livro e mudar de página, para trabalhar, para comer e outras coisas mais, que toda a gente sabe e… outras há quem adivinhe!… E…

– Desculpe, Sr.ª Professora, mas não percebo a importância das mãos nesse dia! As mãos fazem-nos falta todos os dias de 1 a 30 ou 31. – questionou o menino inteligente muito senhor de si.

– Talvez tenhas razão, Rafael, mas parece-me que a Sofia não completou o seu raciocínio.

– Pois não, Sr.ª Professora! Posso continuar? – interveio a menina alegre.

– Claro que sim! Vamos ouvir! – determinou a professora.

– Nas mãos temos dez dedos! E nos pés mais uma dezena deles, que também têm de ser fortes para aguentarem o peso do nosso corpo, para andarem apertados nos sapatos, para levarem “caroladas” quando usamos chinelos, para serem pisados nos bailes, nos transportes públicos e… por baixo das mesas, para criarem ampolas quando nos portamos mal, para fazermos cócegas! E…

– Mas, que grande notícia! – resmungou o menino inteligente.

– Caluda, que eu ainda não acabei! – reivindicou a menina alegre com cara de poucos amigos.

– Então, meninos?!… Tenho de agir?!… Ai, ai! A Sofia pode continuar, s.f.f. – chamou a atenção a professora.

– Obrigada, Sr.ª Professora! Faltam-nos, portanto, três: um, cabeça, o conhecimento, a imaginação, o sol nascente; dois, tronco, o coração sensível e duro, a multiplicação de sentimentos, o calor da vida florida; três, os membros, que são quatro, a ordem superior e inferior, o movimento, o equilíbrio, os passos e os abraços!

– Muito bem, Sofia! – incentivou a professora com um sorriso divertido!

– Obrigada, Sr.ª Professora! Só mais uma coisinha: o dia 31 passou a ser especialíssimo  quando nasceu o meu irmão Gabriel, que, por acaso, nunca foi muito miudinho, mas continua a ser menino, um grande menino, muito querido de todos e para todos!

Nunca foi nem será mais um dia, mas O DIA DO ANIVERSÁRIO DE ALGUÉM BUÉRÉRÉ DE FIXEEEEE!

A turma aplaudiu e, depois de ter posto ordem, a D. Bianela iniciou o seu discurso:

– Na minha perspetiva e tendo presente o aniversário do filho da minha amiga, afirmo que o dia 31 de Julho é e será uma data festiva marcada pela felicidade que proporcionou a todos, e em particular à mãe, o nascimento do menino que viria a ser o orgulho da família, um inesquecível amigo e um cidadão exemplar! Deixo-lhe aqui um abraço!

Ao irmão da Sofia, o Gabriel, e ao filho da minha amiga cantaremos alegremente os PARABÉNS e assistiremos à abertura de uma nova página do livro da vida!

– Muito bem, Sr.ª Professora! Estou comovida! Posso só dizer mais uma coisinha?!…

– Podes, Sofia!

– Ó Rafael, conheces alguém BUÉRÉRÉ DE FIXEEEEE que também faça anos no dia 31 de julho?!…

O colega-amigo ficou corado, e não lhe respondeu, mas dirigiu-se à professora e pediu-lhe, meio atrapalhado:

– Sr.ª Professora, posso ir lá fora?!…

There are no comments on this post.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: