Archive for Março, 2013

Os Segredos do Bloco de Notas
Março 21, 2013

Barco a Navegar na História, 2013

Guarda o teu bloco de notas para quem o saiba ler, soletrando os segredos das entrelinhas sem usar papel mata-borrão!

O Som Pessoal da Euforia e da Melancolia
Março 21, 2013

Sinfonia de- Suspiros, Choros, Cantos e Sinos, 2012

Na euforia e na melancolia cada ser humano toca a sua melodia.

Gente Boa da Minha Aldeia – O Tio Jorge
Março 21, 2013

Quilha de Barco-reflexos, 2012 by lusografias

O tio Jorge era um pescador diferente, o único que a minha memória registou com um barrete preto de borla na ponta como uma coroa no cimo de uma montanha, uma colorida camisa de xadrez, uma longa cana de pesca apoiada no seu ombro largo, e… um cachimbo pensador, poisando nos lábios com apaladadas pausas de prazer!

O tio Jorge falava pouco, e deslizava no caminho para a ribeira no seu passo rítmico, interrompendo o silêncio com saudações cordiais a todos, e nas rochas, comunicando com os mistérios do mar, com os segredos dos peixes e as venturas e desventuras dos barcos, tendo por parceiro o rei sol!

Descobri, um dia, que na Nazaré os pescadores também usavam barrete como o do tio Jorge, mas… percebi que, ao contrário das ondas, que eram ainda maiores naquela terra, nenhum tinha a imponência da sua presença, escondendo a sua discreta generosidade, nem a sua mágica voz de búzios imbuída de serenidade como ele!

Estórias de Meninos – O Riel Careiro
Março 21, 2013

Meninos by lusografias

Um dia, o pai do Cacinho e do Riel entregou-lhes uma alcofa grande cheia de salemas, para irem vender às senhoras ricas da vila.

O Cacinho pegou numa asa e o irmão, mais novo do que ele, na outra, e lá foram desejosos de voltar a casa com dinheiro nos bolsos para a mãe ir à mercearia do Sr. Santinhos.

Quando bateram à porta da D. Maria do Amparo, a empregada veio abrir a porta, e respondeu à senhora que perguntara da sala quem era:

– É o careiro!

O Cacinho, surpreendido, olhou para o irmão e interrogou-o, franzindo os sobrolhos e gesticulando com a cabeça.

– Vem buscar um alguidar para o peixe, e diz-lhe que pode entrar para comer pão fresco – respondeu a Sr.ª

– Mas, minha Sr.ª, o careiro está com outro rapazinho! – informou a Edeme.

– Então, que entrem os dois! – adiantou a D. Maria do Amparo.

Já na cozinha, os irmãos aceitaram o pão com chouriço, agradeceram, e a Sr.ª perguntou o preço das salemas.

O Riel olhou para o irmão e baixou os olhos, ficando com as bochechas avermelhadas.

O Cacinho respondeu à benfeitora e recebeu o dinheiro com esta observação:

– Não és careiro como o teu irmão, mas pago-te o que é habitual!

No regresso a casa, o silêncio entre os irmãos foi quebrado pelo Cacinho:

– Riel, que conversa era aquela de careiro? Estás sempre a perguntar ao pai qual é o preço das salemas!…

– Cacinho, é verdade que peço sempre mais dinheiro pelo peixe, mas é por isso que levo sempre pão e conduto, que compro com a diferença. Mas, não contes anda ao pai, se não levo um “camação”!

O Cacinho deu uma pancadinha de aprovação no ombro do irmão, e seguiram o seu percurso, conversando sobre as aventuras da escola, em que cada um se distinguia na sua matéria!

O Calor do Sorriso
Março 18, 2013

Estrelícia-Bolsa de Sorrisos, 2013

Rega a alegria com o calor do sorriso, limpando-a das pedras de granizo!

Saber e Ver
Março 18, 2013

Candeeiros de Primavera, 2013

Não julgues o que não sabes, nem afirmes o que não viste!

O Solitário
Março 18, 2013

Mãos Solitárias, 2013

Troça da solidão o solitário, pensando que tem o mundo na sua mão!

Conjugação da Liberdade
Março 16, 2013

DSCF4801 - Version 2

Sorri com a tua liberdade nos olhos que vêem o recriam o mundo!

Dança com a tua liberdade nas asas que voam e sonham ao vento!

Canta com a tua liberdade nos pinhais dourados de luz orvalhada!

Vive com a tua liberdade nas flores brancas e bravas da felicidade!

E… beija a vida com lábios salgados de doce maresia!

Estórias de Meninos – O Tareco do Léu
Março 16, 2013

Meninos by lusografias

O Léu tinha um gato amarelo e branco de pelo fofinho e olhos de esmeralda, que andava sempre atrás deles, miando à volta das suas calças, saltando-lhe para o colo, lambendo-o!

A mãe do Léu estava cansada de limpar os pelos do Tareco espalhados pela casa e, principalmente de o gato andar sempre a cheirar na cozinha, e a beber o leite das suas sopinhas quentinhas e doces, o seu pequeno almoço preferido.

O pai do Léu não suportava ter um gato guloso e cão de guarda do filho, e, tentando persuadi-lo a distanciar-se do animal, decidiu começar a tratá-lo por: Tareco, alcunha aplaudida pelos irmãos com risadas trocistas!

Um dia, o pai do Léu pegou no gato, levou-o para a vila mais próxima, e deixou por lá! Regressou a casa visivelmente satisfeito, mas… teve uma surpresa: o Tareco tinha sido mais rápido e… já estava à sua espera!

Irritado, retorquiu:

– Raio do gato! Tem mesmo sete vidas!

A Riqueza Escondida da Mão e do Coração
Março 16, 2013

Flor-Maestra, 2013

Toda a mão sente a música de uma carícia, e todo o coração é maestro de amor com pautas de delícia!