Archive for Fevereiro, 2010

Despertar para a Vida
Fevereiro 8, 2010

Praia de S. Torpes no Inverno, 2010

Despertar é muito mais do que abrir os olhos, é sair do estado de letargo, é abrir de par em par a janela da própria vida, é reconhecer-se no seu dia-a-dia, é pôr-se de pé com determinação, é escolher o seu caminho, sabendo que encontrará pedras, é começar a andar, é vencer sem atropelar ninguém!

O Encanto da Lagoa
Fevereiro 7, 2010

Na quietude da lagoa há armadilhas escondidas para enganar as eirós, que deliciarão os apreciadores da gastronomia local, e patos bravos, descendentes dos que o meu amigo narrava no seu manuscrito.

Contrastando com o silêncio das suas águas paradas, ouve-se, do outro lado, o roncar do mar irado atirando-se contra a areia, arrastando-a consigo quando recua, atraindo os visitantes.

No meio do areal, um aprazível bar é uma janela para a temível praia, ponto de encontros previsíveis, combinados ou surpreendentemente saudosos!

As Andanças das Florinhas
Fevereiro 6, 2010

As florinhas, coitadinhas, depois da estufa, foram cortadas e metidas numa carrinha.

Viajaram ao escuro, sem se verem umas às outras, meio amarrotadas, bem apertadinhas, pobrezinhas!

Chegaram à florista e ficaram direitinhas, pés dentro de água, bem aconchegadinhas, rindo para os clientes, muito bonitinhas.

Foram escolhidas uma a uma por uma Sr.ª simpática e boazinha, misturadas e atadinhas pelas cinturinhas, que elegantinhas!

A Sr.ª, muito alegrinha, levou-as na mão e ofereceu um ramo a cada amiguinha, que agradeceram tão delicada gracinha!

Eis que são horas de sair e, as gratas amigas, apressadinhas, partem sem elas, lamentando a última, ao despedir-se, do esquecimento da outra, verificando descansadinha que as florinhas do ramo abandonado ficavam cuidadinhas com os pés repousando num balde com aguinha.

E só quando estava perto da sua cidade, reparou que as suas florinhas tinham ficado sós, secas e deitadinhas!

Uma colega expedida, olhando para as flores tratadinhas, pega nelas e trá-las para a cidade, toda contentinha!
Ao entregá-las, percebe entre sorrisos que havia outras e que tinham sido trocadinhas! Nada a fazer!

Mas eis que a dona cuidadosa volta ao trabalho e exclama admiradinha e decididinha:
” – Ah! A (…) levou as minhas flores! E eu vou levar as dela!”

E deste modo, todas acabaram felizes e, sobretudo, divertidinhas e floridinhas.

Aerograma n.º 3 – O Cheiro das Sardinhas Assadas
Fevereiro 6, 2010

Querido João,

Ainda “Cheira a sardinha assada” e este teu perfume continuará no ar, misturado com tantos outros que nos ofereceste ao longo destes anos, enquanto tivermos memória: da nossa infância, da nossa adolescência, do nosso estado de adultos inconformados, seres sensíveis, inteligentes e lutadores, porque fazes parte da nossa vida.

TU, com ou sem: o teu boné, os teus óculos, a tua criatividade, permanecerás vivo entre os vivos e a brilhar entre os que já partiram, mais uma estrela no horizonte do até já!

Os doces bons-dias da Deinha e as saudosas carícias da tua mãe-amada não confortarão o teu amigo, fiel todos os dias e na hora da despedida, porque a vossa cumplicidade era só uma vida, insubstituível!

Paz para ti, querido amigo, no meio das lágrimas que vertes abraçado à dor da tua mãe!

Haverá…
Fevereiro 4, 2010

Vieirinha em Janeiro de 2010

Haverá sempre alguém que se aproveita da tua inocência e generosidade.

Haverá sempre alguém que te pede ajuda e que te entala a seguir.

Haverá sempre alguém que te aponta o dedo da sua própria culpa.

Mas
Haverá sempre alguém que acredita em ti e está contigo.

Haverá sempre alguém que te admira e que procura a tua companhia.

Haverá sempre alguém que te respeita e que quer ser teu Amigo(a)!

Por isto,
SORRI e caminha indiferente aos ruídos, LIVRE e FELIZ!

A Fada Traquina – 7.ª Página
Fevereiro 4, 2010


Caros Visitantes,
Esta história é interactiva, por isso, podem – e devem – partilhá-la, completando-a com as vossas crianças. Espero que se divirtam!

“(…) A Fada Traquina ia percorrendo as ruas da cidade com a Mica.

Encontraram várias pessoas a fumar, e a Fada Traquina soprava uma brisa da sua boca, que apagava os … Depois as pessoas retiravam os maços de … das … ou das … e ela, rápida como um relâmpago, tirava-lhes os cigarros e devolvia-lhos, sob a forma de arbustos.

Quando a Fada Traquina descobria garrafas de bebidas alcoólicas, despejava-as e enchi-as de: leite, sumos naturais, xaropes, que distribuía pelos bairros pobres com a ajuda da Fada … e do exército das Fadinhas Saltitonas.

A Mica não conseguia falar, porque a sua companheira era muito rápida e surpreendente, e os seus olhos tinham de estar atentos a tudo o que ela fazia.

Passaram por um restaurante, e a Fada começou a impedir os empregados de servirem tanta comida, para os clientes não… (…)”

(continua)

Que Belo Dia!
Fevereiro 3, 2010

Praia-Recanto, 2010

Fazer bem é uma melodia.
Encontrar amigos é uma alegria.
Sorrir para o mundo é uma cantoria.
Mas que belo dia!

Os Meninos e a Cegonha
Fevereiro 3, 2010

Os meninos, dois irmãozinhos de olhinhos tristes cor de azeitona, saltitam alegremente no pátio da solidão entre as outras crianças agarrados às fotos dos pais, dos cães, dos gatos, da casa, aguardando expectantes, sem apetite e sem sono, o dia em que a cegonha os venha buscar.

Grávidos, amorosos, generosos, gratos e felizes, o pai e a mãe preparam o ninho para receberem os seus passarinhos, partilhando hilariantes e emocionados a sua maravilhosa chegada com os familiares e os amigos, ardendo de terno desejo, com o coração aos pulos e de braços abertos, pelo primeiro encontro com os seus meninos, por poderem pegar-lhes ao colo, beijá-los, darem-lhe as mãos, caminharem juntos e descobrirem um mundo novo.

Felicidades, amigos! Bem-vindos, amiguinhos! Festejem o banquete da vida na festa da família e agradeçam à cegonha amiga, que vos escolheu e entregou uns aos outros.

No Reino da Incompetência
Fevereiro 2, 2010

No reino da incompetência, os reis e os príncipes da sabedoria são golfinhos no meio dos tubarões: os imperadores que falam com os espelhos egomágicos – ” Espelho meu, espelho meu, existe alguém mais sábio e competente do que eu?” – e as suas comitivas de conselheiras, descendentes das irmãs da Branca de Neve, perseguindo os alegres e inocentes capuchinos vermelhos como lobos, lambendo-se ao imaginarem-se a devorar a merenda que as mães, os pais e eles próprios prepararam ao longo da sua vida.

Mas, no meio das tempestades e dos ventos perseguidores rodopiando à volta de si mesmos, o canto dos golfinhos ecoa saltitante como eles e afasta as águas turvas.

Flores para Ti!
Fevereiro 1, 2010

São para ti estas flores, meu irmão, que jazes esquecido no fulgor da tua juventude entre os escombros do terramoto, gemidos ignorados, sonhos esquecidos, vida apagada, deixando marcas da tua passagem nos corações que te amavam e nos daqueles que, pequenos na sua impotência humana te recordam e homenageiam sem te terem conhecido – paz no paraíso!