“Compadris” em Lisboa

Lisboa Cidade Varina, 2009

A prima “Delaida” foi a Lisboa com o marido, o “ti´” “Jaquim”, e no regresso narrou este episódio à “comadri” “Custóida”

– “Pôji éi verdadi, comadri, nã” se “podi andari de traqui” em Lisboa; aquilo é uma coisa por “demaji”.

Quando a gente se apeou da “carrêra”, tivemos que “apanhari” um “traqui” porque a “famila nã conheci a capitali”. “Entri” naquela geringonça com o “mê Jaquim” e ele deu o papelinho com o destino ao “chóferi” e este pediu-lhe para ele “fechari melhori” a porta – o “mê homi nã” o tinha “fêto” com medo de partir aquilo tudo.
“Nã queri vocemecêia veri que despôji do mê Jaquim teri” aberto a porta e feito trás!, já “´távamos” endividados com dois oiros e foi sempre a conta a “subiri” – “mali fêto, nã acha, “comadri”?

– “Pôji” claro, “comadri”! Tem toda a razão! Tal é essa “rôbalhêra!

There are no comments on this post.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: