Mau Tempo

Menina ao Vento

O mar e o céu fundem-se num cinzento sombrio, as nuvem gigantes correm à frente do vento, deixando para trás, numa choradeira, as mais pequenas e indefesas, enquanto ele se diverte num vaivém, mascarando-se com as roupas que esperavam o sol nos estendais, empurrando um mendigo que transporta um saco às costas e atirando-lhe areia das dunas para o rosto.

Ao longe, ouve-se o som rouco e repetitivo de um barco a pedir ajuda.

Um pescador assiste paralisado a este espectáculo abrigado no seu casaco de oleado e nas suas botas de borracha.

Num impulso, entra num casebre, pega numas lanternas e corre para os recifes para avisar a tripulação com sinais de luzes e com a sua própria voz para que não colidam com os rochedos.

As crianças acordam os cães, e o Bolinha corre atrás do dono, ajudando-o com os seus latidos aflitos ao longo da costa até ao porto.

Esta azáfama demora algumas horas e quando finalmente a aurora começa a acordar, o vento e o mar, vencidos pelo cansaço, adormecem.

O pescador e o amigo regressam a casa molhados, mas satisfeitos por terem conseguido salvar aqueles homens!

There are no comments on this post.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: